quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Preço do açúcar pode subir mais 29% até final do ano

O preço do açúcar pode avançar mais 29% até o final do ano, devido à crescente demanda da Índia, maior consumidor da commodity do mundo, segundo o Banco Standard Chartered. De acordo com informações da Bloomberg, a seca na Índia e o excesso de chuvas no Brasil estão fazendo com que a expectativa de safra fique cada vez menor.

De acordo com John Reeve, diretor do setor de commodities agrícolas do Standard Chartered, existe uma grande chance de que as cotações de açúcar avancem mais 30 centavos de dólar. "Os indianos continuarão a consumir açúcar, não importa o preço que ele estiver".

O açúcar já avançou 96% este ano e é a terceira commodity com melhor desempenho nas bolsas. A estiagem quebrou a safra da Índia, aumentando as importações, enquanto as chuvas excessivas estão impedindo a colheita no Brasil, maior produtor de cana-de-açúcar do mundo. O açúcar já alcançou o melhor preço em 28 anos, de 24,85 centavos de dólar a libra-peso em Nova Iorque, no dia 1 de setembro.

O déficit global de abastecimento deve ser de 10,4 milhões de toneladas no ano comercial que se inicia este mês e de 8,4 milhões de toneladas no próximo ano, informou a Organização Internacional do Açúcar no dia 2 de setembro.

"O governo, em favor da população pobre da Índia, irá tentar garantir que haja açúcar disponível para todos", informou Reeve. A Índia deve dobrar a quantidade de açúcar vendido em leilões que começam no dia 1 de outubro, para aumentar o abastecimento, informou Alka Sirohi, secretário do governo.

PRODUÇÃO BRASILEIRA

A produção na região centro-oeste e sul do país, a área de maior produção de cana-de-açúcar do mundo, caiu 23%, para 1,85 milhões de toneladas, no período de 16 a 31 de agosto. No ano anterior, a produção para o período foi de 2,39 milhões de toneladas, depois que as chuvas impediram a colheita e abaixaram o índice de sacarina, informou o grupo Unica. Para este ano, a partir do final do mês passado, a produção de açúcar subiu 16% para 17,2 milhões de toneladas.

A produção de açúcar na Índia deve ser de 16 milhões de toneladas no ano comercial que começa em outubro, informou Alka Sirohi, baseando-se nas estimativas da indústria.

Ainda de acordo com a Bloomberg, o El Niño poderá atrasar as chuvas na Ásia, e deve alavancar os preços do óleo de palma para acima de 2.400 ringgit (US$ 690) a tonelada, já que a seca está quebrando as safras na Indonésia e na Malásia. Os dois países sul-asiáticos são responsáveis por 90% da produção global de óleo de palma.

Fonte:Associação dos produtores de açúcar do Brasil

Nenhum comentário: