quinta-feira, 29 de outubro de 2009

BOTECO DO FUTURO



Um sujeito entra num boteco novinho, todo hi-tech, e pede uma bebidinha.


O barman é um robô, que serve um cocktail perfeito e pergunta:

- Qual é o seu QI?

O homem responde:

- Uns 150.

Então o robô inicia uma conversa sobre aquecimento global,

espiritualidade universal, física quântica, interdependência

ambiental, teoria das cordas, nanotecnologia, e por aí afora...

O cara ficou impressionado, e resolveu testar o robô.

Saiu,.... deu uma volta e retornou ao balcão.

Novamente o robô pergunta:


- Qual é o seu QI?

O homem responde:

- Deve ser uns 100.

Imediatamente o robô lhe serve um uisquinho e começa a falar, agora

sobre futebol, fórmula 1, super-modelos, comidas favoritas, armas,

corpo de mulher, e outros assuntos semelhantes.............

O sujeito ficou abismado.

Sai do bar,.... para pensar.... e resolve voltar e fazer mais um teste.

Novamente o robô lhe faz a pergunta:

- Qual é o seu QI?

O homem dá uma disfarçada e responde:

- Uns 10, eu acho!!!!!

Então o robô lhe serve uma cachaça, se inclina no balcão e diz pausadamente: - E aí mano,...... vamu torcer pro Framengo e votá no Lula de novo??????


Fonte:http://blogs.odiariomaringa.com.br/edsonlima/

terça-feira, 27 de outubro de 2009

É MUITO IMPORTANTE PARA SUA SEGURANÇA E DE SEUS FAMLIARES

Dêem uma pausa e reflitam sobre a verdade do que está escrito abaixo.

O ORKUT apareceu como uma forma de contatar amigos, saber notícias de quem está distante e mandar recados.

Hoje está sendo utilizado com o propósito de, creio ser o seu maior trunfo, obter informações sobre uma classe privilegiada da população brasileira.
Por que será que só no Brasil teve a repercussão que teve?
Outras culturas hesitam em participar sua vida e dados de intimidade, de forma tão irresponsável e leviana.. Por acaso você já recebeu um telefonema que informava que seus filhos estavam sendo seqüestrados?
Sua mãe idosa já foi seguida por uma quadrilha de malandros ?
Já te abordaram num barzinho, dizendo que te conheciam faz tempo?
Já foi a festas armadas para reencontrar os amigos de 30 anos atrás e não viu ninguém?
Pois é.. Ta tudo lá.
No ORKUT. Com cinco minutos de navegação eu sei que quantos filhos você tem, ou se não tem, se tem namorado/a , sei que estuda no colégio tal,ou que trabalha em tal lugar,sei que freqüentatais cinemas, tais bares,tais festas ....sei nome de familiares,sei nome de amigos;
sei sei sei !
E o melhor de tudo, com uma foto na mão!
Identifico seu rosto em meio a multidões, na porta do seu trabalho, no meio da rua.
Afinal, já sei onde você está.
É só ler os seus recadinhos.
Faço um pedido:
Quem quiser se expor assim, faça-o de forma consciente e depois não lamente, nem se desespere, caso seja vítima de uma armação.
Mas poupe seus filhos, poupe sua vida Íntima.
O bandido te ligou pra te extorquir dinheiro também porque você deixou..
A foto dos meninos estava lá..Teu local de trabalho tava lá.
A foto do hotel 5 estrelas na praia tava lá.
A foto da moto que está na garagem estava lá.
Realmente somos um povo muito inocente e deslumbrado.
Por enquanto, temos ouvido falar de ameaças a crianças e idosos. Até que um dia a ameaça será fato real. Tarde demais.
Se você me entendeu, ótimo!
Reveja sua participação no ORKUT, ou ao menos suprima as fotos e imagens de seus filhos menores e parentes que não merecem passar por situações de risco que você os coloca.
Oriente seus filhos a esse respeito ,pois colocam dados deles e da família sem pensar em conseqüências,fazem isso pelo desejo de participar, mas não sabem ou não pensam no perigo de se dar dados pessoais e da família para que qualquer pessoa veja.
Se acha que não tenho razão, deve se achar invulnerável.
Informo que pessoas muito próximas a mim e queridas já passaram por dramas gratuitos, sem perceber que tinham sido vítimas da própria imprudência.
A falta de malícia para a vida nos induz a correr riscos desnecessários..
Não só de Orkut vive a maioria dos internautas.
Temos uma infinidade de portas abertas e que por um descuido colocamos uma informação que pode nos prejudicar.
Disponibilizar informações a nosso respeito pode se tornar perigoso ou desagradável.
Portanto, cuidado ao colocar certas informações na Internet.
Não conhecemos a pessoa ou as pessoas que estão do outro lado da rede.
O papo pode ser muito bom, legal!
Passe a todos que você conhece e que utiliza o Orkut, 1Grau, Gazzag, NetQI, Blogs, Flogs, etc..... para que todos tenhamos consciência sobre o assunto e possamos colaborar com a diminuição do crime.

Texto: Marco André Vizzortti
Professor de Informática da USP
(Universidade de São Paulo)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

21 de outubro - Dia Nacional de Lutas dos Trabalhadores do Judiciário Nacional

No dia 16 de setembro de 2009, 19 entidades representativas de Trabalhadore do Poder Judiciário reuniram-se em Brasília para deliberar acerca da Resolução nº 88 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que determinou aos TJ’s a majoração da jornada de trabalho de 6 para 8 horas diárias. A deliberação do CNJ contraria a luta histórica dos trabalhadores do setor público e também da iniciativa privada pela redução da jornada de trabalho, tanto que dos 26 estados e o Distrito Federal a maioria absoluta dos trabalhadores do Judiciário tem garantida a carga horária de 6 horas, sem prejuízo ao jurisdicionado já que o expediente forense nos estados continua acontecendo de forma ininterrupta, logo, não fere ao interesse público ou à prestação jurisdicional.


A princípio, pode parecer válida a proposta de majoração da jornada de trabalho. Mas, pelo contrário, a carga horária de 6 horas se revela mais adequada, aumentando comprovadamente a qualificação e eficiência dos serviços prestados, em atendimento aos princípios que regem a Administração Pública e dentro dos limites estabelecidos pela Constituição Federal.

A jornada de trabalho de 6 horas além de ser mais produtiva e favorável à saúde do trabalhador, oportuniza aos servidores condições para a qualificação e consequentemente melhora o atendimento à população.

É importante ressaltar que os servidores não querem, de nenhuma forma, com a manutenção da jornada de trabalho, ocasionar prejuízo ao cidadão. As entidades representativas entendem que o jurisdicionado merece atendimento amplo e irrestrito. Por isso defendemos 12 horas de atendimento ao público em dois turnos de 6 horas ininterruptas, garantindo a prestação jurisdicional à população sem prejuízo dos direitos já conquistados pela classe trabalhadora.

Ressalte-se que não há que se falar em imoralidade e “cinismo” dos servidores do Poder Judiciário como apregoou parte da mídia nacional, e sim em adequar a carga horária à função exercida, uma vez que a jornada de trabalho menor de 8 horas (fixada como jornada máxima pela Constituição Federal) já é praticada em outras categorias como dos jornalistas (5 horas), bancários, médicos, operadores de telemarketing, digitadores, enfermeiros, etc. (6 horas).

O estabelecimento de metas para cumprimento em prazos exíguos, incompatíveis com as condições de trabalho, com sobrecarga, em detrimento da dignidade e saúde dos trabalhadores por si só não torna a prestação jurisdicional de forma qualitativa como deseja o Judiciário e, por conseguinte, a sociedade.

Por fim, os trabalhadores do Judiciário Nacional reafirmam a necessidade de tornar-se o Judiciário mais próximo do cidadão, atendendo-o com agilidade, eficiência e eficácia. O cumprimento de metas deve ser prioridade para todos os integrantes do Judiciário, e não apenas como carga de responsabilidade tão somente dos trabalhadores.

Tendo em vista o exposto, no dia 21 de Outubro todas as unidades da federação paralisarão suas atividades em protesto contra a Resolução nº 88 do CNJ que determinou aos TJ’s a majoração da jornada de trabalho de 6 para 8 horas diárias, no que pese a maioria absoluta dos estados já ter garantida por leis a jornada mínima. Nesse dia 21 de outubro, eleito como o DIA NACIONAL DE LUTAS DO JUDICIÁRIO todos os trabalhadores do Judiciário estarão interrompendo suas atividades e as entidades promoverão atos públicos com sua base. Paralelo a isso, representações sindicais estarão participando de ato político em Brasília.
Paralisação em Minas Gerais

Seguindo as deliberações da FENAJUD, o Sindicato dos Servidores da Justiça de 1ª Instância do Estado de Minas Gerais (SERJUSMIG) irá aderir ao Dia Nacional de Lutas do Judiciário paralisando as atividades no dia 21 de outubro, com manutenção de plantão mínimo para atender às medidas urgentes.


Pouco se noticia sobre as péssimas condições de trabalho dos servidores dos judiciários. No caso de Minas, além de exercerem atividades em locais insalubres, ao contrário do que vem sendo divulgado, servidores da 1ª Instância costumam trabalhar além da carga horária normal e ainda nos finais de semana. Permanecem em plantão noturno, sem sequer fazerem jus à compensação, quanto mais à horas-extras. Muitos levam serviços para casa, tudo na tentativa de se sobrepor às dificuldades enfrentadas e prestar um bom serviço à sociedade, muitas vezes, comprometendo a própria saúde. Vejamos matéria veiculada pela Globo Minas em 11 de maio de 2009.


Ressalte-se ainda, que o Tribunal de Justiça de Minas Gerais não vem efetuando o pagamento dos 7,5% aos Servidores aprovado pela Assembleia Legislativa no ano passado. Tramita ainda na ALMG o projeto que concede o Adicional de Desempenho, que deveria ter sido enviado em 2003, sem contar que os Servidores da Justiça de Minas Gerais recebem o PIOR SALÁRIO ENTRE OS TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DO BRASIL.

No dia 21 de outubro um ato público organizado pelo SERJUSMIG será realizado em Belo Horizonte, em frente ao Fórum Lafayette. Espera-se a presença de cerca de 1.000 servidores de todo o estado. No interior, os Fóruns locais paralisarão as atividades, mantendo apenas um plantão mínimo destinado ao atendimento de medidas urgentes. Durante a semana, os servidores utilizarão camisetas pretas com os dizeres “luto por justiça”, culminando com a paralisação das atividades por 24 horas, com indicativo de GREVE.
Texto: Walter Gonçalves – Oficial de Justiça MG/SD e Léo Chaves


sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A LÓGICA DA VIDA, NÃO É A LÓGICA PETISTA


O que foi que aconteceu! Bastou o Vereador Afonso Ferreira apresentar uma moção de apoio aos deputados federais Luiz Bassumas (BA) e Henrique Afonso (AC), ambos do Partido dos Trabalhadores e que foram punidos pelo Diretório Nacional do PT com a suspensão dos direitos políticos por um ano e 90 dias, respectivamente, para que a bancada do Partido dos Trabalhadores iniciasse uma “guerra” no Plenário da Câmara Municipal.
O Vereador Afonso Ferreira esclareceu “que sua moção tinha como objetivo apoiar os dois parlamentares que assumiram publicamente a defesa da vida” e, “que atitudes como estas mereciam não mereciam ser alvo de punições”, pois representa “patrulhamento ideológico e filosófico”, além de constituir “uma ofensa à liberdade de expressão”.

Bastava votar pela aprovação ou não da moção de apoio. Mas, o líder da bancada do PT na Câmara Municipal, o Vereador Labernet Mendes assumiu uma posição dúbia, querendo justificar que o mesmo, bem assim os demais vereadores do PT não são a favor do aborto, insinuando ainda que a “intenção do Vereador Afonso era outra”.

Sem dizer qual seria a “verdadeira intenção do Vereador Afonso Ferreira”, o líder do PT não conseguiu convecer nem a sí mesmo do que falou da Tribuna. Em resposta, o Vereador Afonso Ferreira justificou “em momento algum eu afirmei que os vereadores da bancada do Partido dos Trabalhadores eram a favor do aborto”. Mas, que por certo “se os senhores vereadores fossem deputados federais e dissessem isso em público, como fizeram os dois deputados federais, estariam expulsos do PT”.


O vereador concluiu: “O PT aprovou uma Resolução favorável a descriminalização do aborto, e qualquer parlamentar que assumir publicamente posição contrária irá sofrer punição. Tal postura é inconcebível, os dois deputados federais construíram suas vidas públicas defendendo a vida.”

Tive a oportunidade de conversar com o Vereador Afonso Ferreira no dia seguinte ao da reunião da Câmara, e, por ele me foi dito: “É bom o eleitor ficar atento antes de votar nos candidatos do PT, pois o pensamento dele pode não representar ao do Partido e, se isso acontecer o que o candidato pactuou com você, poderá não valer.” O Vereador Afonso Ferreira arrematou: “questões como estas, não se pode e não se deve exigir que se siga uma orientação partidária; afinal quando um partido político deve abrigar pesamentos diferentes, respeitar estas diferenças e, jamais fazer patrulhamento filosófico e ideológico fechando questão em assunto de tamanha profundidade.”

Perguntando a razão da bancada petista ter ficado tão irritada, o Vereador Afonso Ferreira disse: “a única que me ocorre foi que pensaram que o meu desejo fosse outro, senão solidarizar-me com os parlamentares do PT que foram punidos em defesa da vida.” E, arrematou: “mas, aqui como lá, o que as instâncias partidarias decidirem, mesmo se não for o seu pensamento, você é obrigado a fazer o que o ´seu mestre mandar’. Em assuntos como a defesa da vida, essa regra jamais poderia valer.”

Os Vereadores do Partido dos Trabalhadores disseram “que o há muita gente boa no PT”. O Vereador Afonso Ferreira comentando disse: “É verdade, por exemplo: os dois deputados federais que foram punidos. Muitos outras pessoas que estão filiadas, militam ou são simpatizantes do PT são pessoas dignas, corretas, desejam o que a grande maioria das pessoas descentes desejam. Todavia, muitas não sabem como funciona o PT. Guardei até o último dia 5 a minha carteira de filiação ao PT, mas, quando vi a intransigência do PT materializada na bancada aqui em Santos Dumont, joguei a mesma fora, coisa que nunca pensei fazer, afinal fazia parte de minha história de vida. Quando fui candidato a Deputado Federal pelo PT em 2002, se houvesse sido eleito, certamente teria sido expulso junto com Heloisa Helena, Luciana Genro, João Fontes e Babá, pois não votaria a favor da reforma da previdência proposta pelo Governo Federal, visto que a mesma prejudicou os trabalhadores. E, antes da eleição o PT havia fechado questão: dizer não à reforma da previdência; eleito a colocou em prática”.

Falando francamente o PT não fez qualquer força para punir os deputados federais que pegaram dinheiro de Marcos Valério no escândalo do mensalão; não puniu os responsáveis pela contabildiade da campanha de Lula, que utilizaram dinheiro não declarado, remetido ao exterior pelo marqueteiro de campanha; não puniu os alopradas que queriam comprar dossiês contra os adversários e foram pegos carregando dinheiro na cueca; não puniram os responsáveis pela confecção de dossiê contra o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso quanto ao gasto dos cartões cooporativos; não impediu os deputados que impediram a abertura de CPI para apurar os gastos nos mesmos cartões pelo atual governo (lembram da esteira para o segurança do Presidente Lula e dos jantares em churrascarias de Ministros, das despesas de viagem em período eleitoral para apoiar companheiros ....); não puniram quem quebrou o sigilo bancário do caseiro; não puniu quem defendeu Sarney e os atos secretos, enfim tantas outras coisas que vamos parar por aqui.


Mas, puniram e com uma severidade incontestável dois parlamentares que resolveram tornar pública a sua posição contrária à descriminalização do aborto. Vocês eleitores entenderam direito e não precisam ler de novo!

Para o Diretório Nacional, Estadual e Municipal do Partido dos Trabalhadores, como os relacionados acima, corrupção, improbidade, crimes, conivência não dá punição. Defender o direito ao feto à vida dá punição. Isso fere a ética petista, e ao que parece feriu os vereadores da bancada do PT em Santos Dumont


Eu e muitos outros quando soubemos que era assim, saimos. O que eu não sei é o que as pessoas boas ainda fazem no PT, sabendo que é um Partido que não é plural, não é democrático, é intransigente e que vem se monstrando conivente com a incompetência e tudo de ruim na vida pública brasileira, coisas que o PT combatia no passado e que o levou a ser esperança do povo brasileiro.

Parabéns ao Vereador Afonso Ferreira que assumiu publicamente uma postura em defesa da vida, solidarizado-se com aqueles que de igual forma pensam; parabéns aos demais vereadores que votaram favoravelmente à Moção de Apoio aos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso. O episódio, também serviu para mostrar que o “patrulhamento ideológico e filosófico” e, mais do que isto o silêncio de parlamentares petistas também é uma realidade em Santos Dumont.
A história continua sendo escrita.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

MST! Mas e agora?

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, ou simplesmente MST, começou a ganhar manchetes no início da década de 90 e, naquela época, havia muito romantismo nas abordagens — quase sempre positivas, aliás. Era a "luta pela terra", tal e coisa.

Mais ou menos na mesma época, a Rede Globo lançava telenovela em que uma sem-terra tinha caso amoroso com o protagonista. Era ainda a fase das abordagens românticas, não tínhamos notícia ou dimensão do que havia no MST e as discussões eram todas na base de uma dicotomia tacanha: fascistas x socialistas. Era quase impossível apoiar os inimigos da causa campesina, pois, 'do outro lado', estariam, muito claramente, os latifundiários.
Há alguns anos, o MST pratica atos que exigem novos sinônimos para a palavra "vandalismo". São crimes, mesmo. O caso de ontem, dos milhares de pés de laranja arrancados por um trator, é apenas um dentre vários. Mas, ainda assim, há uma espécie de tabu. Qualquer discussão sobre o tema AINDA recai naquela antiga dicotomia tosca. Parece que somos os fascistas desafiando aquela (falsa) ideia de um movimento romântico e (falsamente) legítimo.
Desculpem, mas toda e qualquer dose de legitimidade do MST vai pelo ralo quando eles partem para a ilegalidade. Não há qualquer reivindicação justa — e creio na justiça de alguns pleitos — que prospere mediante ações ilegais, violentas etc.
A ocupação de uma propriedade privada "improdutiva" já é discutível, por conta dos diversos sentidos que se dá para a improdutividade (às vezes, é uma terra, por exemplo, disputada em juízo e na qual não se possa plantar por conta disso). Mas quando invadem uma fazenda e arrasam uma plantação, tudo da forma mais violenta, não há mesmo o que dizer. Sobretudo quando tal prática não é exceção, mas regra.
E ir contra o MST, na forma como o movimento age atualmente, não é "ser contra a luta pela terra", mas ser contra a violência e a ilegalidade. Exatamente porque, ao cometer esse tipo de barbaridade, os líderes do movimento não apenas usam camponeses como massa de manobra, mas também a opinião pública — e parcela da imprensa —, manipulando-os com essa conversa mole de "estamos lutando por um pedaço de terra".
Recentemente, foi ENTERRADA a "CPI do MST". O Congresso teria instrumento para ir atrás das doações públicas, dos métodos, ouvir responsáveis e preparar um material importante para o Ministério Público, colaborando assim com as investigações já em curso. Mas tudo foi abortado por razões mais ou menos imagináveis.
Mas é isso. Tentem falar sobre o MST com aquele pessoal que se diz "politizado", mas no fundo é única e tão somente partidarizado. Simplesmente não haverá conversa. Após todo o relato de crimes e absurdos, financiamentos e práticas ilícitas, dirão: "é a luta pela terra" (como se alguém fosse contra esse direito, no sentido lato).
Talvez o tabu imposto sobre o tema decorra exatamente da falta de possibilidade de defesa. Porque, sob qualquer ponto de vista ou argumento, fica mesmo difícil dar razão às ilegalidades do MST. Nesse caso, a única saída é apelar para palavras de ordem e frases feitas.
Fonte: http://www.interney.net/blogs/imprensamarrom/



terça-feira, 6 de outubro de 2009

Vinícola Miolo compra Almadén da Pernod Ricard


A concentração de empresas chega com mais força ao mercado de vinhos brasileiros. A vinícola gaúcha Miolo anunciou ontem a compra da Almadén, pertencente ao gigante de bebidas francês Pernod Ricard.


Essa aquisição faz do grupo Miolo Wine Group o líder de mercado na produção nacional de vinhos finos, ao somar 12 milhões de litros e faturamento anual de R$ 100 milhões. Antes da aquisição, o grupo produzia cerca de 7,5 milhões de litros por ano.

Há dois anos, o mercado de vinhos nacionais já havia assistido à incorporação de outro projeto estrangeiro, o japonês Santa Colina, pela Cooperativa Vinícola Aliança, também gaúcha.

Novos negócios devem ocorrer na região com a fusão de várias cooperativas que estão em busca de redução de custos e ganho de musculatura.

José Fernando Protas, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho, afirma que a Miolo já vem há algum tempo se estruturando para crescer. Além do crescimento interno, a empresa já tem parcerias de produção na Argentina e no Chile, os dois grandes produtores sul-americanos.

"O mundo todo está partindo para a formação de grandes oligopólios", diz ele. Na avaliação de Protas, há uma clara bipolarização no mercado. Algumas empresas ganham corpo para serem competitivas, terem poder de compra de insumos e peso na hora de negociar. Outras buscam nichos específicos, procurando colocar um produto com maior valor agregado. "As que ficam no meio têm grandes chances de serem incorporadas porque não há mais espaços para amadorismo. A depuração vai continuar", afirma.


Investimentos

A compra da Miolo inclui a unidade fabril e os vinhedos, ambos localizados em Santana do Livramento (RS). A unidade fabril tem capacidade de armazenagem de 8 milhões de litros em tanques de inox e de 63 mil em barris de carvalho.

Descoberta há 30 anos pelos produtores de uva, a chamada Metade Sul, que compreende os municípios do sul do Estado, onde está a Almadén, deve receber um volume maior de investimentos.

Essa nova área se destaca pelo menor valor das terras e relevo plano, que permite a mecanização e a produção em escala com baixos custos. Solo profundo e bem drenado, além de elevadas temperaturas durante o dia, que vão a 32C, com recuo para 14C à noite, são outros pontos de atração.

A Miolo, que passa a ter 1.150 hectares de uva, quer dobrar a participação da Almadén no mercado em dez anos. A empresa não informou o valor da transação, mas promete investir R$ 12 milhões em vinhedos, mecanização e tecnologia. O grupo Miolo quer ainda desenvolver o enoturismo, a exemplo do que ocorre no Vale dos Vinhedos.

Com investimentos de R$ 120 milhões nos últimos dez anos, a Miolo tradicional da região de Bento Gonçalves já colocou os pés no Chile, na Argentina e no Nordeste brasileiro, se associando a vários grupos estrangeiros.

A Miolo desenvolve, também, um projeto conjunto com o empresário Raul Anselmo Randon, do setor de transportes, na região Campos de Cima da Serra, próximo a Vacaria. Ele também participará da aquisição da Almadén.

A Almadén foi vendida à Pernod Ricard em 2002. Com a Miolo, ela será administrada como uma empresa independente, seguindo as orientações do grupo.

Fonte: Mega Forte Distribuidora

sábado, 3 de outubro de 2009

Ex - Presidente Da liga de desportos tenta justificar o injustificável


Esta semana vamos falar em CPI, é aquela mesmo em que muita gente achava que terminaria em pizza, principalmente os envolvidos até o pescoço que rezavam por isto. Um dos sugeridos até o momento para ser indiciado, o senhor Iranir Rodrigues Leocádio aparentemente partiu para mais uma desesperada e certamente sem frustrada, tentativa de se esquivar das acusações que pesam sobre seus ombros.

Pois é, o cidadão chegou cheio de marra, com toda a empáfia que é peculiar da patota ou companheirada, para o depoimento que prestou na CPI da liga de desportos e sem medo meteu os pés pelas mãos, aproveitando-se de uma maneira viu, quase um peçonhento, obviamente não quero ofender os pobres bichinhos que estão em outra faixa na cadeia dos animais. E assim vamos nos ater aos fatos, e depois de várias evasivas, o aminético quase peçonhento como já disse, o Iranir Rodrigues Leocádio disparou; “Que além do Sr Douglas Fedocio, do Sr José Carlos Tavares, e do depoente, o falecido Cledir Carlos Ramos também tinha conhecimento da elaboração da nota fiscal avulsa. Que o depoente incumbiu o falecido Cledir Carlos Ramos de buscar a nota na Prefeitura, não sabendo dizer, contudo, se foi ele quem pegou esta nota avulsa. Que recebe das mãos do Sr Cledir Carlos Ramos a nota onde figura como prestador de serviço Sr Douglas Fedocio”. Por favor, meu senhor, assim não vale! O senhor é convocado para depor e tem a chance de elucidar para os sandumonenses o paradeiro do dinheiro, grana, La plata, larjan, capilé, Money, verba do povo que se esvaiu de suas mãos ou seu controle como em um passe de mágica e que mágica.

Quem sabe o senhor lendo todos estes nomes de moedas, o senhor se lembre do que estamos falando, porque em seu depoimento o senhor desconhece ou deixa obscuro vários pontos referentes ao paradeiro dos Trintão que sacou junto ao banco do Brasil e misteriosamente levou para sua casa e por mais à moda antiga que o senhor seja, com certeza não acredita mais em que guardar dinheiro de baixo do colchão dê certo, conta outra moço, o senhor não é tão ingênuo assim, quer enganar a quem?

Ao menos o senhor está tentando ser esperto desta vez, colocar um pedido de desculpas no jornal foi uma tentativa de se safar, quase tão brilhante quanto à de acusar um falecido, e para não errar TU ainda colocou em dois jornais, então eu lhe digo uma coisa, TU ESTÁ SE ESPECIALIZANDO TIRAR DA RETA, PROFISSIONAL, COBRA CRIADA...

E no que tange ao indiciamento proposto ao Ministério Público, nesse o senhor já dançou e se tudo correr bem como foi até agora apurado na CPI, a justiça nem tanto tardou e muito menos faltarás; o senhor deve mesmo colocar as barbas de molho no caso da família do saudoso Credir Ramos resolver acertar as contas com o senhor caluniador junto à mesma justiça que cada vez mais está chegando perto de ti e dos teus. Se conselho fosse bom era vendido, porém, Eu lhe darei um, busque junto aos seus asseclas, broders, copichas, los hermanos ou mesmo companheiros, mais algumas idéias mirabolantes, veja bem não estou propondo GOLPE, somente uma saída mais inteligente do que acusar quem não pode se defender, e muito menos alguém com a reputação ilibada e depois tentar se dar bem mais uma vez. Nesta tentativa tu foste infeliz, e cá para nós, um tanto quanto covarde, vamos deixar isto como nosso segredo; igual aos muitos relativos à CPI que ainda devem estar sendo guardados a sete chaves com os companheiros qualificados anteriormente.

Ainda lhe digo mais, a ti e aos seus: as informações contidas neste artigo são de poder público, então não dê ouvidos as más línguas ou maus orientadores que certamente lhe dirão “processa ele que ele cala a boca”, não meta os pés pelas mãos novamente!

Companheiro, agora agüenta ou entregue o resto, afinal Trintão nem é tanto assim que compense levar toda a culpa, vai garoto desabafa e joga tudo pro ar ou no ar; ventilador não, por favor...

OBS: Não vale acusar falecidos e principalmente falecidos idôneos, combinado!

Sr. Irany Rodrigues Leocádio,O senhor foi convocado aqui para prestar depoimento como testemunha na “Comissão Parlamentar de Inquérito, para apuração de denúncia de ilegalidades supostamente cometidas na Liga dos Desportos de Santos Dumont no exercício de 2006”.A partir de agora o Sr. tem o compromisso de dizer a verdade sobre o que souber ou lhe for perguntado.Se faltar com a verdade, poderá ser denunciado que o Sr. responda pelo crime de falso testemunho - Art. 210 do Código de Processo Penal.Seu nome: Irany Rodrigues Leocádio. Sua idade: 51....
Leia mais na versão imprensa do Jornal Panorama. Já nas bancas!