sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A LÓGICA DA VIDA, NÃO É A LÓGICA PETISTA


O que foi que aconteceu! Bastou o Vereador Afonso Ferreira apresentar uma moção de apoio aos deputados federais Luiz Bassumas (BA) e Henrique Afonso (AC), ambos do Partido dos Trabalhadores e que foram punidos pelo Diretório Nacional do PT com a suspensão dos direitos políticos por um ano e 90 dias, respectivamente, para que a bancada do Partido dos Trabalhadores iniciasse uma “guerra” no Plenário da Câmara Municipal.
O Vereador Afonso Ferreira esclareceu “que sua moção tinha como objetivo apoiar os dois parlamentares que assumiram publicamente a defesa da vida” e, “que atitudes como estas mereciam não mereciam ser alvo de punições”, pois representa “patrulhamento ideológico e filosófico”, além de constituir “uma ofensa à liberdade de expressão”.

Bastava votar pela aprovação ou não da moção de apoio. Mas, o líder da bancada do PT na Câmara Municipal, o Vereador Labernet Mendes assumiu uma posição dúbia, querendo justificar que o mesmo, bem assim os demais vereadores do PT não são a favor do aborto, insinuando ainda que a “intenção do Vereador Afonso era outra”.

Sem dizer qual seria a “verdadeira intenção do Vereador Afonso Ferreira”, o líder do PT não conseguiu convecer nem a sí mesmo do que falou da Tribuna. Em resposta, o Vereador Afonso Ferreira justificou “em momento algum eu afirmei que os vereadores da bancada do Partido dos Trabalhadores eram a favor do aborto”. Mas, que por certo “se os senhores vereadores fossem deputados federais e dissessem isso em público, como fizeram os dois deputados federais, estariam expulsos do PT”.


O vereador concluiu: “O PT aprovou uma Resolução favorável a descriminalização do aborto, e qualquer parlamentar que assumir publicamente posição contrária irá sofrer punição. Tal postura é inconcebível, os dois deputados federais construíram suas vidas públicas defendendo a vida.”

Tive a oportunidade de conversar com o Vereador Afonso Ferreira no dia seguinte ao da reunião da Câmara, e, por ele me foi dito: “É bom o eleitor ficar atento antes de votar nos candidatos do PT, pois o pensamento dele pode não representar ao do Partido e, se isso acontecer o que o candidato pactuou com você, poderá não valer.” O Vereador Afonso Ferreira arrematou: “questões como estas, não se pode e não se deve exigir que se siga uma orientação partidária; afinal quando um partido político deve abrigar pesamentos diferentes, respeitar estas diferenças e, jamais fazer patrulhamento filosófico e ideológico fechando questão em assunto de tamanha profundidade.”

Perguntando a razão da bancada petista ter ficado tão irritada, o Vereador Afonso Ferreira disse: “a única que me ocorre foi que pensaram que o meu desejo fosse outro, senão solidarizar-me com os parlamentares do PT que foram punidos em defesa da vida.” E, arrematou: “mas, aqui como lá, o que as instâncias partidarias decidirem, mesmo se não for o seu pensamento, você é obrigado a fazer o que o ´seu mestre mandar’. Em assuntos como a defesa da vida, essa regra jamais poderia valer.”

Os Vereadores do Partido dos Trabalhadores disseram “que o há muita gente boa no PT”. O Vereador Afonso Ferreira comentando disse: “É verdade, por exemplo: os dois deputados federais que foram punidos. Muitos outras pessoas que estão filiadas, militam ou são simpatizantes do PT são pessoas dignas, corretas, desejam o que a grande maioria das pessoas descentes desejam. Todavia, muitas não sabem como funciona o PT. Guardei até o último dia 5 a minha carteira de filiação ao PT, mas, quando vi a intransigência do PT materializada na bancada aqui em Santos Dumont, joguei a mesma fora, coisa que nunca pensei fazer, afinal fazia parte de minha história de vida. Quando fui candidato a Deputado Federal pelo PT em 2002, se houvesse sido eleito, certamente teria sido expulso junto com Heloisa Helena, Luciana Genro, João Fontes e Babá, pois não votaria a favor da reforma da previdência proposta pelo Governo Federal, visto que a mesma prejudicou os trabalhadores. E, antes da eleição o PT havia fechado questão: dizer não à reforma da previdência; eleito a colocou em prática”.

Falando francamente o PT não fez qualquer força para punir os deputados federais que pegaram dinheiro de Marcos Valério no escândalo do mensalão; não puniu os responsáveis pela contabildiade da campanha de Lula, que utilizaram dinheiro não declarado, remetido ao exterior pelo marqueteiro de campanha; não puniu os alopradas que queriam comprar dossiês contra os adversários e foram pegos carregando dinheiro na cueca; não puniram os responsáveis pela confecção de dossiê contra o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso quanto ao gasto dos cartões cooporativos; não impediu os deputados que impediram a abertura de CPI para apurar os gastos nos mesmos cartões pelo atual governo (lembram da esteira para o segurança do Presidente Lula e dos jantares em churrascarias de Ministros, das despesas de viagem em período eleitoral para apoiar companheiros ....); não puniram quem quebrou o sigilo bancário do caseiro; não puniu quem defendeu Sarney e os atos secretos, enfim tantas outras coisas que vamos parar por aqui.


Mas, puniram e com uma severidade incontestável dois parlamentares que resolveram tornar pública a sua posição contrária à descriminalização do aborto. Vocês eleitores entenderam direito e não precisam ler de novo!

Para o Diretório Nacional, Estadual e Municipal do Partido dos Trabalhadores, como os relacionados acima, corrupção, improbidade, crimes, conivência não dá punição. Defender o direito ao feto à vida dá punição. Isso fere a ética petista, e ao que parece feriu os vereadores da bancada do PT em Santos Dumont


Eu e muitos outros quando soubemos que era assim, saimos. O que eu não sei é o que as pessoas boas ainda fazem no PT, sabendo que é um Partido que não é plural, não é democrático, é intransigente e que vem se monstrando conivente com a incompetência e tudo de ruim na vida pública brasileira, coisas que o PT combatia no passado e que o levou a ser esperança do povo brasileiro.

Parabéns ao Vereador Afonso Ferreira que assumiu publicamente uma postura em defesa da vida, solidarizado-se com aqueles que de igual forma pensam; parabéns aos demais vereadores que votaram favoravelmente à Moção de Apoio aos deputados Luiz Bassuma e Henrique Afonso. O episódio, também serviu para mostrar que o “patrulhamento ideológico e filosófico” e, mais do que isto o silêncio de parlamentares petistas também é uma realidade em Santos Dumont.
A história continua sendo escrita.

Nenhum comentário: