domingo, 29 de novembro de 2009

Flamengo consegue triunfo fora de casa, em Campinas, e fica a uma vitória do hexacampeonato


O Flamengo derrotou o Corinthians por 2 a 0, neste domingo, no Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, e, com a combinação de resultados da rodada, está a uma vitória do hexacampeonato brasileiro. Os gols de Zé Roberto e Léo Moura, somados à derrota do São Paulo por 4 a 2 para o Goiás, no Serra Dourada, colocaram o time rubro-negro na ponta a uma rodada do fim da disputa.


Com a necessidade da vitória, e enfrentando um adversário sem mais pretensões na competição, o Flamengo começou partindo pra cima. Logo aos quatro minutos, Álvaro subiu mais do que todos, após um escanteio cobrado da direita, e acertou a trave de Felipe. Sem Adriano, Andrade manteve o jovem Bruno Mezenga na frente e colocou Zé Roberto para flutuar no ataque.

Aos 25 minutos, o atacante Ronaldo, considerado o principal personagem da partida por conta de sua relação turbulenta com a torcida flamenguista, lesionou a coxa direita e teve que ser substituido. Um minuto depois, Toró fez um lançamento perfeito para Zé Roberto, que invadiu a área e abriu o placar para o Rubro-Negro, deixando a maior torcida do Brasil mais perto da liderança.

No finalzinho do primeiro tempo, a linha defensiva do Fla passou por dois grandes sustos. Primeiro com Defederico, que driblou Bruno e sem goleiro chutou para o gol, que só não aconteceu porque Angelim afastou em cima da linha. Na segunda, Chicão cobrou falta perigosa no angulo e Bruno fez uma bela defesa, garantindo que o Rubro-Negro fosse para o vestiário na liderança do Brasileiro, já que o São Paulo perdia para o Goiás, no Serra Dourada.

A segunda etapa começou como a primeira, com os dois times lutando muito. Talvez por ter conseguido abrir o placar no primeiro tempo, o Flamengo voltou do intervalo um pouco mais recuado, dando espaço para o Corinthians, mas sem ser muito ameaçado. Aos 23 minutos, ao mesmo tempo em que o árbitro expulsava o zagueiro do Corinthians Chicão após falta em Fierro, a torcida rubro-negro comemorava o terceiro gol do Goiás no São Paulo.

O Flamengo conseguiu segurar a bola até o final da partida, sem dar chance para o time paulista conseguir a reação. Aos 44 minutos, Léo Moura sofreu pênalti. Ele mesmo cobrou e marcou o segundo do Fla. Antes da cobrança, um torcedor invadiu o gramado, mas acabou detido. Quando o árbitro Evandro Rogério Roman apitou pela última vez no jogo, os torcedores e jogadores rubro-negros puderam comemorar a liderança do Brasileiro.

Na última rodada do Campeonato Brasileiro, o Flamengo recebe o Grêmio, no próximo domingo, no Maracanã, que estará lotado, já que todos os ingressos para a partida já foram vendidos. Caso vença, o time acabará com o jejum de 17 anos sem o título nacional. O Corinthians apenas cumprirá tabela diante do Atlético-MG, no Mineirão.

FICHA TÉCNICA:

CORINTHIANS 0 X 2 FLAMENGO

Estádio: Brinco de Ouro da Princesa, Campinas (SP)

Data/hora: 29/11/2009 - 17h (de Brasília)

Árbitro: Evandro Rogério Roman (Fifa-PR)

Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Altemir Hausmann (Fifa-RS)

Cartões amarelos: Moradei, Souza, Chicão e Elias (COR) Álvaro, Willians, Petkovic e Toró (FLA)

Cartão vermelho: Chicão, 23'/2º T (COR)

GOLS: Zé Roberto, 26'/1°T (1-0) e Léo Moura, 48'/2°T (2-0)

CORINTHIANS: Felipe, Jucilei, Chicão, Paulo André e Escudero (Dodô, 29'/2ºT); Edu (Moradei, 4'/1ºT), Elias, Boquita e Defederico; Jorge Henrique e Ronaldo (Souza, 25'/1ºT). Técnico: Mano Menezes.

FLAMENGO: Bruno, Léo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Juan; Aírton, Toró, Willians e Petkovic (Fierro, 20'/2ºT); Zé Roberto e Bruno Mezenga (Denis Marques, 33'/2ºT). Técnico: Andrade
FONTE: http://www.lance.com.br/

sábado, 28 de novembro de 2009

25% dos professores da rede particular de MG já presenciaram agressões de alunos


Um em cada quatro professores de escolas e faculdades particulares de Minas Gerais já presenciou agressões de alunos a outros professores no ambiente escolar. E três em cinco (62%) já testemunharam ataques verbais.


Os dados fazem parte de pesquisa recém-concluída pelo Sinpro (Sindicato dos Professores de Minas), em parceria com a PUC de Minas. Foram ouvidos 686 educadores da rede privada do Estado, do ensino infantil ao superior. O levantamento aponta também que 20% testemunharam tráfico de drogas entre alunos no ambiente escolar.

Os pesquisadores não questionaram se os próprios professores foram alvo de violência. O objetivo do levantamento, segundo o sindicato, foi analisar a percepção da violência na relação com os alunos.





Um outro levantamento, porém, realizado pelo sindicato em 2007, indicou que 41% dos professores já sofreram algum tipo de agressão por alunos, seja verbal ou física. Na terça-feira, um estudante de veterinária de uma faculdade privada de Juiz de Fora (276 km de Belo Horizonte) deu um soco no rosto do professor ao ser flagrado colando em uma prova.



O presidente do Sinpro, Gilson Reis, diz que a pesquisa serviu para desmitificar a teoria de que a violência se restringe ao ensino público, entre alunos de baixa renda.

De acordo com Reis, a violência nas escolas privadas não vem a público por estratégias da direção das instituições. A pesquisa aponta que 65% dos professores pensam como Reis. Ele diz que as escolas buscam resolver os casos internamente, obedecendo a uma "relação mercantil, de manter o aluno dentro daquela escola".

"Se a escola nega discutir até a sua própria violência, como ela pode ajudar a discutir as outras violências que a sociedade é vítima permanentemente?".

Representante de mais de 700 instituições de ensino, o Sinep (Sindicato das Escolas Particulares de MG) nega que oculte situações de violência. "Quando há casos de violência, tratamos internamente, mas isso não é abafar. É questão de segurança da escola, do aluno, dos professores e respeito às pessoas", diz a vice-presidente do Sinep, Zuleica Reis.

Ela afirma que os dados da pesquisa não "condizem com a realidade que a gente vivencia nas escolas". Zuleica diz que, em 28 anos de escola, nunca presenciou "fato que pudesse fazer parte de estatística".

Fonte: www.bol.com.br

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

PROCURADORES ANUNCIAM OPERAÇÃO CONTRA SONEGADORES

Um grupo de procuradores de 9 estados e Distrito Federal anunciou hoje uma mega operação contra sonegadores fiscais de pequeno, médio e grande porte. Os valores sonegados, segundo os procuradores, chegam a R$ 4 bilhões em impostos estaduais nos últimos dois anos. A maioria dos crimes está ligada a falsificação de notas fiscais e uso de laranjas em empresas.
"Quando há sonegação, o prejuízo é para toda a sociedade", disse o presidente do Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas, Gercino Gomes Neto, procurador de Justiça de Santa Catarina. Segundo ele, essas empresas ainda são suspeitas de lavar dinheiro e adulterar produtos eletrônicos. "Não raras as vezes em que o crime é organizado com formação de quadrilha", ressaltou.
Desde as 4h da manhã desta quarta, a operação, feita em conjunto com a Polícia Federal e as receitas estaduais, consiste em apresentação de denúncias à Justiça, vigilância para apreensões em postos fiscais nas entradas dos estados, entre outras ações. Pelo menos 1.100 auditores estão envolvidos no trabalho. Não há ainda uma estimativa de quantas empresas estão sendo investigadas, mas, segundo os promotores, a maioria é de médio porte do ramo do comércio, indústria e atacadista.
Somente nesta terça em Brasília, 60 caminhões foram detidos em flagrantes com irregularidades, 30 empresas estão sendo autuadas e 10 pedidos de prisões foram feitos à Justiça. No total, R$ 50 milhões foram sonegados, segundo a investigação, no Distrito Federal. Além do Distrito Federal, são alvo da operação os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso e Rio Grande do Norte

Fonte: Agência Estada

domingo, 15 de novembro de 2009

Luciano Pires, este também Fala Francamente!

Esta semana a coluna falando francamente traz um artigo de um dos maiores jornalistas e escritor Brasileiro, refiro-me ao grande amigo Luciano Pires que também assina uma coluna aqui no Jornal Panorama.
Nascido em Bauru, S.P., em 1956, formou-se em Comunicação em 1977 pela Universidade Mackenzie em São Paulo. Hoje é Diretor de Comunicação Corporativa da Dana, uma das maiores indústrias de autopeças do Brasil.
A experiência como jornalista e executivo de uma empresa global propiciou uma visão privilegiada da dinâmica do mundo dos negócios e do comportamento das pessoas que desempenham papéis de liderança.
Cartunista premiado por duas vezes no Salão de Humor de Piracicaba tornou-se colunista de várias revistas e sites. Lançou em 2002 seu terceiro livro, O MEU EVEREST, que descreve sua aventura de caminhar em abril de 2001 até o campo base do Everest, no Nepal. Diretor de Comunicação Corporativa da Dana Albarus S.A. Luciano Pires é Jornalista, Cartunista, Escritor e Conferencista Formado em Comunicação pela Universidade Mackenzie e alem disso possui Dezenas de cursos no Brasil e exterior. Casado desde 1982, tem dois filhos residente em São Paulo a 48 anos.
Em 2003 lançou BRASILEIROS POCOTÓ – Reflexões sobre a mediocridade que assola o Brasil, livro que teve grande repercussão, alcançando a venda de 10 mil exemplares em apenas 5 meses.
Seus artigos são remetidos semanalmente a mais de 10 mil assinantes de seu site www.lucianopires.com.br , além de serem lidos em programas de rádio.
Desde 1996, Luciano vem ministrando palestras sobre temas variados.
Está semana trago para meus amigos e inimigos leitores um artigo deste grande jornalista que mostra bem a realidade de nosso pais este artigo chama-se “ A Maquina Do Tempo”
Depois que você ler este artigo faça a sua reflexão pessoal e mande para o meu e-mail a sua opinião a respeito deste artigo


A MAQUINA DO TEMPO



Um dos filmes que mais causaram impacto em minha vida foi “Em algum lugar no passado”, com Christopher Reeve, uma história de amor lindíssima, em que um escritor apaixona-se pela foto de uma atriz dos anos vinte. Uma paixão tão avassaladora que ele acha uma forma de voltar ao passado para encontrar a moça e viver uma história de amor emocionante. O filme é lindo, a trilha sonora é fabulosa e o tema, instigante: viajar no tempo. Quando Albert Einstein anunciou a sua Teoria da Relatividade, em 1905, viajar no tempo – pelo menos em teoria – deixou de ser algo impossível. Pois outro dia observei uma foto de um grupo de amigos na reunião de comemoração de 30 anos de minha formatura no colégio. Olhei aqueles senhores de cabelos brancos, gordos e carecas e imaginei o que aconteceria se a foto pudesse ser vista por eles quando tinham 16 anos. Já pensou? Você poder ir até o futuro e olhar onde estará, que rumo sua vida tomou?

Imaginei então uma situação interessante. Alguém inventa uma máquina do tempo. E vai testar. Escolhe uma data aleatória – 1989, por exemplo – e aperta um botão. A máquina traz para o presente ninguém menos que Luis Inácio Lula da Silva. Aquele de vinte anos atrás. Lula chega meio zonzo:

- O que é isso, companheiro?

Sem entender o que acontece, Lula é recebido com carinho, toma uma água, senta-se num sofá e recupera o fôlego.

- Onde eu tô?

- No futuro, Presidente. Colocamos em prática a Teoria da Relatividade!

- Futuro? Logo agora que vou ganhar do Collor, pô! Me manda de volta pro passado! Zé Dirceu! Zé? Cadê o Zé?

- Calma, Lula. Aproveite para dar uma olhada no seu futuro. Você é o presidente da República!

- Eu ganhei?

- Não daquela vez. Mas ganhou em 2002. E foi reeleito em 2006!

- Reeleito? Eu? Deixa eu ver, deixa eu ver!!!

E então Lula senta-se diante de um televisor de plasma. Maravilhado, assiste a um documentário sobre os últimos 20 anos do Brasil. Um sorriso escapa quando a eleição de 2002 é apresentada.

- Pô, fiquei bonito! Ué. Aquela ali abraçada comigo não é a Marta Suplicy?

- Não, Presidente, é a Marisa Letícia.

- Olha! Eu e o Papa! E aquele ali, quem é?

- É George Bush, o Presidente dos Estados Unidos!

- Arriégua! Êpa! Mas aquele ali abraçado comigo não é o Sarney? Com a Roseana? E o que é que o Collor tá fazendo abraçado comigo? O que é isso? Tá de sacanagem?

- Não, presidente. Esse é o futuro!

- AAAAhhhhhh! Olha lá o Quércia me abraçando! O Jader Barbalho! Cadê o Zé Dirceu, o Luiz Dulce?

- O senhor cortou relações com eles.

- Meus amigos? Me separei deles e fiquei amigo do Sarney?

- Pois é...

- E aqueles ali? Não são banqueiros? Com aqueles sorrisos pra mim?

- Estão agradecendo, Presidente. Os bancos nunca tiveram um resultado tão bom como em seu governo.

- Bancos? Os bancos? Você tá de sacanagem. Sacanagem!

- Calma, Presidente. O povo está gostando, reelegeram o senhor com mais de cinqüenta milhões de votos!

- Mas não pode! Cadê os proletários? Só tô vendo nego da elite ali. Olha o Vicentinho de gravata! E o Jacques Wagner também! Mas que merda é essa?

- É o futuro, Presidente.

- E o Walter Mercado? Tá fazendo o quê ali?

- Aquela é a Marta Suplicy, Presidente.

- Ah, não. Não quero! Não quero! Não quero aquele meu terninho. Não quero aquele cabelinho. Não quero aquela barbinha. Desliga isso aí!

- Mas Presidente, esse é o futuro. O senhor vai conseguir tudo aquilo que queria.

- Não e não. Essa tal de teoria da relatividade é um perigo.

- Perigo?!

- É. As amizades ficam relativas. A moral fica relativa. As convicções ficam relativas. Tudo fica relativo.

- Bem-vindo a 2009, Presidente!!!