quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

O HAITI É AQUI?

 Digo aos nobres leitores que assistindo aos telejornais nos últimos dias, tive a percepção da carga de informação que recebemos do Haiti. Sim um país assolado pelas mazelas de uma guerra civil despropositada no meu entendimento, pessoas de todas as idades submetidas as mais diversas intempéries e desmandos dos seus próprios cidadãos, cidadãos estes que são uma pequena minoria que governava e governava mau o desafortunado país.
 Então lhes conclamo para refletirem a cerca do assunto que incomodava o mundo, más não o suficiente para chamar a atenção para a realidade do cotidiano, somente nossos valorosos soldados que compõe a força de paz da ONU saberão dizer com riqueza de detalhes o que se passou naquele país antes e depois da catástrofe natural que devastou aquela terra afastando ainda mais as esperanças daquele povo.
Não estou aqui fazendo ou mesmo tentando promover algum tipo de preconceito contra aquele povo e sim alertando aos nobres leitores de que em nossa terra existem vários “Haiti’s”, do Oiapoque ao Xuí desta nação que possui uma dimensão quase que continental podemos encontrar pessoas ou comunidades, e para quem não entendeu; seres humanos em situações degradantes tanto quanto a dos haitianos. Trata-se dos brasileiros sobreviventes da catástrofe resultante da má gestão pública, e ainda para os que não entenderam; dos desmandos ou mesmo incompetência dos nossos governantes e legisladores.
Busco um exemplo bem próximo de nós para apontar as infelizes coincidências, provavelmente todos já ouviram falar da “Vila do Sapo”, e quem ainda não havia ouvido, está ouvindo agora; a coisa funciona mais ou menos assim, de longa data nossa terra ou nossa cidade tem sofrido com os desmandos e ou falta de qualificação dos nossos administradores, reclamamos daqui e dali, mas nunca assumimos uma postura direta e permanente contra estes famigerados atos contra o erário publico e conseqüentemente contra o povo na outra ponta da corda.

Vamos nos ater na “Vila do Sapo” e como os seus habitantes sobrevivem; caros leitores, a situação é caótica e as casas em sua grande maioria são de taipa (barreado ou pau a pique) a estrada não tem nenhuma infra estrutura, linha de ônibus regular pode esquecer, comércio próximo por coincidência também não tem e se eu for enumerar tudo o que falta naquela região daria para encher o jornal e a coisa não para somente pela falta de estrutura, a aproximadamente 05 anos passados aquela COMUNIDADE e este é o termo que a trupe gosta de usar na hora de fazer e refazer as falsas promessas, promessas estas que foram refeitas pouco mais de um ano passado.

É seu moço, infelizmente o povo de lá e de cá caíram na mesma lorota ou se quiser entender como mentira pode considerar porque está certo, pois, prometeram e sumiram novamente com a maior cara de pau do mundo, obviamente devemos dar os créditos ao artista maior, aquele digníssimo senhor que ao ser interpelado por conta do mensalão disse, “eu não sabia, eu não ouvi, eu não vi”, e o povo acreditou.
Tratar destes acontecimentos como incidentes ocasionais, sinto muito, esta eu não engulo e quiçá digeri-las, daí meus nobres leitores, o dito e eleito “Prefeito” e seus asseclas tem o dever de cumprir suas promessas junto aquela COMUNIDADE, parem para imaginar o bem que faria aquele povo um posto de saúde, coleta e tratamento de esgoto, pois licitaram o que já está pronto e eu lhes pergunto.
Porque não licitaram os distritos onde precisam de investimentos e caso não se recordem é a infra-estrutura, a companheirada poderia usar a imaginação que tiveram para criar o belo plano de governo, até o muro do cemitério deram como pronto, digníssimos senhores, peço que olhem por aquela COMUNIDADE, pois vosso lema era “COMUNIDADE UNIDA” e no caso deles até então só lhes restam se unir com Deus, pois digo que os digníssimos senhores e seus COMPANHEIROS e suas mentes brilhantes não vão querer importar um TERREMOTO para devastar aquela COMUNIDADE e talvez até a catástrofe chegue atrasada por conta das tetas que terão de serem inventadas para alojar outro COMPANHEIRO.


Digo-lhes senhores honrados, canja de galinha não faz mau a ninguém e um pouco de brio na face também não, já chega de mazelas para este povo, povo este vitimados de uma diáspora política e veja bem não é seu povo e nem sua COMUNIDADE, é nossa e digo isto com fé de que os nobres leitores entenderão este desabafo e digo ainda que não estou fazendo nenhum tipo de trocadilho com a desgraça alheia e só estou apontando para o sofrimento que está ao nosso redor e infelizmente não são tomadas as DEVIDAS e PROMETIDAS providencias e para os alcoviteiros de plantão, ao contrário de ficar dizendo ou mirabolando intrigas para a CORTE PALACIANA dizendo processa ele que ele cala, parem com isto, se fizerem um aproveitamento melhor do seu tempo, quem sabe estes mesmos alcoviteiros conseguem desvendar para onde foi o rico dinheirinho dos contribuintes nas guias falsificadas

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

LULA O VIAJANTE

Por Joelmir Beting

Se beber não dirija. Nem governe.
Até aqui, em 40 meses de governo, o presidente Lula já cometeu 102 viagens ao mundo. Ou mais de duas por mês, tal como semana sim, semana não. Sem contar, ora pois, as até aqui, 283 viagens peloBrasil.
Hoje, dia 15, ele completa 382 dias fora do país desde a posse. E pelo Brasil, no mesmo período, 602 dias fora de Brasília.
Total da itinerância presidencial, caso único no mundo e na História: Exatos 984 dias fora do Palácio, em exatos 1.201 dias de presidência.
Equivale a 81,9% do seu mandato fora do seu gabinete. Esta é a defesa da tese de que ele não sabia e nem sabe de nada do que acontece no Palácio do Planalto.

Governar ou despachar, nem pensar.A ordem é circular. A qualquer pretexto.
E sendo aqui deselegante, digo que o presidente não é (nem nunca foi) chegado ao batente, ao despacho, ao expediente.
Jamais poderá mourejar no gabinete, dez horas por dia, um simpático mandatário que tem na biografia o nunca ter se sentado à mesa nem para estudar, que dirá para trabalhar.'

SEM CONTAR AS DESPESAS:
FHC, EM 8 ANOS DE GOVERNO, GASTOU R$ 58 MILHÕES, CRITICADOS PELO PT.
LULA ATÉ AGORA, EM MENOS DE 7 ANOS, GASTOU R$ 584 MILHÕES ! E SÓ AS IDENTIFICADAS PELA IMPRENSA

E o povão ainda aplaude e vota!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

A verdade doi !!!!

Vejam o que Danilo Gentili, comediante do CQC , escreveu a respeito da piada de Robin Wilians sobre o RJ e sua escolha como cidade-sede das Olimpíadas de 2016, no programa do David Letterman



Uns anos atrás os Simpsons vieram pro Brasil. Homer foi sequestrado. Bart ficou excitado com a loira de shorts enfiado na bunda que apresentava um programa infantil na TV. O menino pobre que a Lisa ajudou não tinha o que comer mas estava muito feliz desfilando no Carnaval.

Esses dias Robin Willians falou o seguinte: "Claro que o Rio ganhou de Chicago a sede das Olimpíadas. Chicago levou Michele e Oprah e o Rio levou 50 strippers e 500g de cocaína".

Eu ri!

Advogados, autoridades e populares se revoltaram nos dois casos. Eles não se revoltam, não se mobilizam, não processam, não abrem inquéritos, não fazem passeatas quando o sequestro, a loira vagabunda apresentadora de programa infantil, a idiotice do carnaval, o tráfico de drogas e a prostituição acontecem na vida real bem debaixo dos nossos narizes. Eles se revoltam só quando usam isso pra fazer piada.

A piada realmente boa sempre ofende alguns e mata de rir outros por um motivo simples: A boa piada sempre fala de uma verdade. Num País onde aprendemos a mentir, enganar, roubar, tirar vantagem desde cedo a verdade não diverte. Assusta. O cara engraçado pro brasileiro é sempre aquele que fala bordões manjados, dá cambolhatas no chão em altas trapalhadas, conta piadas velhas, imita o Silvio Santos e outras personalidades ou faz um trocadilho bobo mostrando ser um ignorante acerca dos assuntos. Esses bobos passivos nos deliciam porque não incomodam ninguém! Um cara que faz um gracejo com uma verdade inconveniente pro brasileiro é como o alho pro vampiro. Merece ser execrado.

O brasileiro é uma gorda de 300 quilos que odeia ouvir que é gorda. Ela faz um regime pra parar de ouvir isso? Não! Regime e exercicio dá muito trabalho. É mais fácil ir no shopping, comprar roupa de gente magra, vestir e depois acomodar a bunda na cadeira do McDonalds. O problema é que nem todo mundo é obrigado a engolir que aquela fábrica de manteiga é Barbie, só porque está com a roupa da Gisele Bundchen. Então é inevitável que mais hora menos hora alguém da multidão grite: "Volta pro circo!" ou "Minha nossa! É o StayPuff com o maiô da Dayane dos Santos?". Então a gorda chora. Se revolta. Faz manha. Ameaça. Processa. Porque, embora ela tentou se vestir como uma magra, no fundo a piada a fez lembrar que ela é mais gorda que a conta bancária do Bill Gates. A auto-estima dela tem a profundidade de um pires cheio de água.


Ao invés de dizer que Robin Willians tem dor de corno, prefeito do Rio, vai cuidar primeiro da sua dor de mulher de malandro. Sabe? Mulher de malandro sim, aquela que apanha, apanha, apanha mas engole os dentes e o choro porque acha que engana a vizinha dizendo: “Eu tenho o melhor marido do mundo”.

Advogados. Vocês já são alvos de piadas por outros motivos. Já que se incomodam com piadas evitem ser alvos de mais algumas delas não processando Robin Willians. Em vez de processo, envie pra ele uma carta de gratidão. Pense que ele estava num dos melhores programas de TV do mundo e só falou de puta e cocaína. Ele poderia ter falado por exemplo, que o turista que vier pra Olimpíadas se não for roubado pelo taxista, o será no calçadão. Poderia também ter dito que o governo e a polícia brasileira lucram com aquela cocaína do morro carioca que ele usou na piada. E se ele resolvesse falar algo como: “As crianças do Brasil não assistirão as Olimpíadas porque estarão ocupadas demais se prostituindo” ? Ah... E se ele resolvesse lançar mais uma piada do tipo: “Brasileiro é tão estúpido que se preocupa com o que um comediante diz, mas não se preocupa no que o político em quem ele vota faz”?

Enfim... são muitas piadas que poderiam ter sido feitas. Quem é imbecil e se incomoda com piada, não seja injusto e agradeça ao Robin Willians porque ele só fez aquela.

E depois brasileiro insiste em fazer piada dizendo que o Português é que é burro."

domingo, 10 de janeiro de 2010

Notáveis do PMDB


sábado, 9 de janeiro de 2010

Com 521 metas, Plano de Direitos Humanos é vago e controverso

A terceira edição do Programa Nacional de Direitos Humanos é um apanhado de 521 medidas que vão desde metas vagas, de difícil implementação, até propostas específicas, e controversas, que também não devem sair do papel. Muitas delas dependem não só da ação do governo federal, mas de municípios, Estados, Congresso e do Poder Judiciário.




Jobim vai cobrar de Lula revisão do Plano de Direitos Humanos

Vannuchi defende plano após divergências entre Cassel e Stephanes

Cassel rebate críticas de Stephanes ao Plano de Direitos Humanos

Oposição vai tentar suspender decreto de Lula que cria Plano de Direitos Humanos



O programa não contém disposições de aplicação imediata --dependem de aprovação de projetos de lei-- e grande parte dele é composto de diretrizes de políticas públicas que envolve toda a Esplanada dos Ministérios, além de muitos órgãos da administração pública direta e indireta.



Essa "transversalidade temática" --expressão usada pelo ministro Paulo Vannuchi-- porém, causou descontentamento em várias áreas do governo.



O programa também desagradou entidades da sociedade civil. Associações que representam veículos de comunicação, por exemplo, afirmaram que a proposta tenta promover o controle da imprensa.



O texto final, que se assemelha a uma grande carta de intenções, é uma versão reduzida e adaptada do documento aprovado na 11ª Conferência Nacional de Direitos Humanos, em dezembro de 2008.



O evento, que reuniu órgão governamentais e entidades da sociedade civil, foi precedido por 164 encontros regionais e estaduais sobre o assunto, além de 50 conferências temáticas nacionais, segundo a Secretaria Especial de Direitos Humanos.



Apesar das propostas polêmicas, grande parte do plano traz sugestões genéricas demais, como "proteger o idoso" ou "combater desigualdades salariais". Há outras, porém, bem específicas. Uma traz recomendação ao Judiciário para que adote uma posição em uma matéria sobre comunidades quilombolas. Outra propõe que os municípios incluam, no Plano Diretor, espaços para acampamentos ciganos.



Há também, no texto, metas que já faziam parte dos dois planos nacionais de direitos humanos anteriores, lançados em 1996 e 2002, nos governos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.



Em relação aos programas anteriores, o texto do governo Lula inova ao indicar "responsáveis" e "parceiros" em cada uma das medidas, além de trazer "recomendações".



Defesa



O ex-ministro dos Direitos Humanos Nilmário Miranda diz que o plano "seria uma fraude" se abarcasse apenas ações a serem executadas pela Secretaria de Direitos Humanos.



Ele reconheceu que há propostas com dificuldade de sair do papel. "Dependem da vontade política dos entes federados, do Congresso", disse.



Paulo Sérgio Pinheiro, membro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, acredita que o documento precisa ser bem amplo. "O plano é a fotografia do que o governo e a sociedade civil almejam dos direitos humanos", diz. "É genérico porque os direitos humanos são abrangentes. Não dá para fazer um programeto da área."



Para a desembargadora aposentada do TJ-RS, Maria Berenice Dias, que advoga na área dos direitos homoafetivos, mesmo que muitos pontos fiquem sem implementação no curto prazo, é importante que o governo mostre seu comprometimento. "O reconhecimento homoafetivo [no plano] enfraquece a postura daquele congressista que tem medo de votar a favor [da união de pessoas do mesmo sexo]", afirma.



Carlos Alberto Idoeta, fundador da seção brasileira da Anistia Internacional, afirma que é preciso ser cauteloso com a utilização do plano para ataques político-partidários, até mesmo dentro do mesmo governo. "[A área de direitos humanos] é muito maltratada por parte da opinião pública. Há uma desconfiança enorme", diz ele.

Fonte:www.bol.com.br/noticias

domingo, 3 de janeiro de 2010

Avião preso no gelo desde 1911 é descoberto na Antártica

SYDNEY, Austrália, 3 Jan 2010 (AFP) - Exploradores australianos afirmaram ter descoberto um avião preso no gelo da Antártica desde 1911, que teria sido um dos primeiros aparelhos do mundo a voar.


O pequeno avião, com apenas um lugar, foi o primeiro fabricado pela empresa britânico Vickers, Segundo a equipe que o encontrou, ele foi levado à Antártica pelo explorador australiano Douglas Mawson em 1911.

Mawson tinha a esperança de ser o primeiro a sobrevoar a calota polar da Antártica, mas o piloto que viera de Londres com o Vickers sofrera um acidente na Austrália durante um voo de teste.

As alas estavam tão danificadas que tiveram de ser separadas da fuselagem. Mawson insistiu para utilizar o aparelho na Antártica como um "trator" para rebocar seus trenós, declarou à AFP o explorador australiano David Jensen.

"A ideia de Mawson não funcionou muito bem. Eles tinham equipado o avião com esquis adaptados e um leme especial colocado na cauda", comentou.

O motor foi danificado pelo frio extremo, e Mawson deixou o avião no Cabo Denison em 1914, segundo Jensen, presidente da Mawson's Hut Foundation.

Mawson abandonou definitivamente o Vickers na Antártica em 1931, após uma última visita em 1929.

Equipados com aparelhos de ressonância magnética, três equipes de especialistas da Mawson's Hut Foundation se revezaram para vasculhar a fuselagem do aparelho, visto pela última vez em 1975 no Cabo Denison completamente preso no gelo do continente branco.

Graças a excepcionais marés baixas, provocadas pela lua cheia, e ao derretimento do gelo, os exploradores australianos conseguiram descobrir o avião no dia do Ano Novo, destacou Jensen.

"Tínhamos uma chance em um milhão de reunir todas estas condições favoráveis para descobri-lo", comemorou.

A equipe se preparava para fazer um buraco no gelo para chegar até o avião sob condições meteorológicas particularmente adversas, com ventos de 80 km/h e temperaturas abaixo de zero, acrescentou Jensen.

"Um dos carpinteiros da fundação Mawson estava passeando no porto quando avistou, por sorte, a fuselagem metálica no meio das rochas. Dizem que uma sorte tão grande só acontece com a lua azul, e isso foi comprovado", festejou.

A noite do Ano Novo foi marcada pela segunda lua cheia do mês, um fenômeno chamado "lua azul". A origem do termo viria da expressão inglesa "once in a blue moon" (algo que acontece muito raramente). A última lua azul registrada em um 31 de dezembro fora em 1990.

Segundo Jensen, a equipe de exploradores recuperou os pedaços da fuselagem e deve levá-los de volta para a Austrália no fim de janeiro.

"As peças que encontramos vêm realmente do trator dos ares", encerrou, ainda incrédulo, o explorador.
FONTE: www.bol.com.br/noticias