sábado, 20 de novembro de 2010

BIENAL DA UNE MOVIMENTA O RIO EM JANEIRO DE 2011

"Sétima edição do evento terá como tema o samba, elemento transversal da brasilidade; Bienal promete diálogo entre cultura, ciência, esporte e outras manifestações da juventude. As inscrições de trabalhos estão abertas!"


Abrindo a série de mega-eventos desta década na cidade do Rio de Janeiro, a 7a Bienal da UNE(União Nacional dos Estudantes), maior festival estudantil da América Latina, ocupará a cidade maravilhosa entre os dias 18 e 23 de janeiro. Prenunciando a movimentação da Copa de 2014 e Olimpíadas de 2016, cerca de 10 mil jovens de todas as regiões do Brasil e também do exterior participarão de uma intensa programação de atividades culturais, científicas e esportivas em diversos espaços da capital.
A Bienal, que completa 12 anos de experimentação e valorização da identidade nacional, traz desta vez o tema “Brasil no estandarte, o samba é meu combate”.
O evento tem o objetivo de reunir as diversas juventudes do Brasil e do continente em uma grande mostra transversal de diversas áreas, consolidando-se hoje como o principal instrumento para o mapeamento e difusão da produção desenvolvida por jovens de todo o país. Além disso, a Bienal sempre apresenta um qualificado rol de convidados especiais entre pensadores, artistas, ativistas e outras figuras públicas em uma programação de debates, grandes shows, exposições e atos públicos. Em suas seis edições anteriores, participaram da Bienal personagens como Gilberto Gil, Oscar Niemeyer, Ariano Suassuna, Ziraldo, Jorge Mautner, Racionais Mcs, Serginho Groisman, Abdias do Nascimento, Aleida Guevara, Chico César, Nação Zumbi, Jards Macalé, Alceu Valença, Marcelo D2,Orlando Silva Júnior, Martinho da Vila, Beth Carvalho, Lenine, O Rappa, Tom Zé, Mr Catra e Naná Vasconcelos.
INSCRIÇÕES DE TRABALHOS
Estão abertas, até o dia 30 de novembro, as inscrições para todos que queiram apresentar seus trabalhos em uma das seguintes categorias da 7a Bienal: artes integradas, música, artes cênicas, audiovisual, artes visuais, literatura, ciência & tecnologia, mostra CUCA (Centro e Circuito Universitário de Cultura e Arte) e atividades autogestionadas.
“BRASIL NO ESTANDARTE, O SAMBA É MEU COMBATE”
Em suas edições anteriores, as bienais já pautaram a herança africana na cultura do país, os vínculos do Brasil com a América Latina, a cultura popular e as raízes de formação do Brasil. O samba aparece agora, naturalmente, em meio a tal caminho, sintetizando um pouco de todas essas referências em uma manifestação que se tornou, praticamente, sinônima do nome da nação em sua dimensão complexa, festiva, crítica, criativa e redentora. O tema “Brasil no estandarte, o samba é meu combate” enfrenta a incômoda teoria de que a festa e a felicidade do povo brasileiro sejam inférteis. A Bienal abandona, corajosamente, o medo de que o Brasil termine em um imenso carnaval, sem prazo para a última batida. Juntos, os estudantes mostrarão que ser feliz também é o combate.Leia o manifesto da 7a Bienal da UNE: http://bit.ly/dwngMJ
A UNE, A CULTURA E AS BIENAIS
Uma das características do movimento estudantil brasileiro é ser precursor de importantes movimentos culturais no país. Entre eles, destaca-se o histórico Centro Popular de Cultura da UNE (CPC da UNE) nos anos 60, por onde passaram figuras como Cacá Diegues, Vianinha, Vladmir Carvalho e Arnaldo Jabor. O movimento foi extinto com o golpe de 1964. A partir do final da década de 90, a UNE retomou a sua atividade cultural com sua primeira Bienal de Cultura, Arte e Ciência, em 1999, na cidade de Salvador, e dois anos depois com o projeto CUCA da UNE (Centro e Circuito Universitário de Cultura e Arte).
A segunda Bienal, em 2001, aconteceu no Rio de Janeiro com o tema “Cultura em Movimento”. Em 2003, no Recife, o tema foi “Um encontro com a cultura popular”. A quarta Bienal, em 2005, foi realizada em São Paulo, ocupando o pavilhão da Fundação Bienal de São Paulo, o Museu de Arte Moderna (MAM) e o Museu de Arte Contemporânea (MAC). Trazendo a temática "Soy Loco por Ti América", o festival ocorreu em conjunto com o XIV Congresso Latino Americano e Caribenho de Estudantes (CLAE). Em 2007, ano de comemoração dos 70 anos da UNE, a Bienal voltou ao Rio para celebrar a influência africana no Brasil, o tema foi "Brasil-África: um Rio Chamado Atlântico". A última Bienal, em janeiro de 2009, aconteceu em Salvador, com o tema “Raízes do Brasil: Formação e Sentido do Povo Brasileiro”.
Fonte:www.une.org.br








quarta-feira, 17 de novembro de 2010

BAIRRO SANTO ANTONIO CONTINUA ESQUECIDO

Nossa reportagem esteve no bairro Santo Antônio, acompanhados pelo senhor Damião Elias da Silva, que foi o presidente da Associação Comunitária do bairro de 2007 a 2009.
Na oportunidade estivemos em quatro ruas: Francisco Albano Fernandes, Vereador Rubens Albano Fernandes, Antonio Ferreira da Silva e Célia Alvim.
Muitas ruas do Bairro Santo Antonio estão necessitando de uma atenção especial por parte da prefeitura municipal, mas nesta edição falarei apenas destas quatro ruas, em outra oportunidade trarei para os leitores desta coluna a situação de outras ruas no bairro que merecem uma atenção especial, por parte da atual administração.
Vamos começar pela Rua Francisco Albano Fernandes, rua direta e cumprida, aceso para o distrito de Dores do Paraibuna. Quando cheguei nesta rua uma das primeiras coisas que pude perceber é a situação precária e mal cuidada do calçamento. A situação das crianças chama a atenção pelo fato de na referida rua e no bairro poucos locais para o lazer das crianças existirem – Fizeram um escorregador em um barranco de um terreno e inocentemente brincavam no local que a meu ponto de vista não é muito seguro, e isso sem contar que na mesma rua existem nove bocas de lobos entupidas.
Conversamos com alguns moradores que se encontravam na porta de uma mercearia cuja revolta pode ser notada em suas palavras em relação a situação da rua onde os mesmos moram.
O senhor Jose Laurinho de Lima e o senhor Benedito Silvério de Souza disseram a nossa reportagem que: "... Na ultima eleição o senhor prefeito municipal esteve em nossa rua e pediu desculpas para os moradores pois em seu primeiro mandato como prefeito não conseguira arrumar a rua mais que se os moradores da Rua Antonio Ferreira da Silva. Pediu que desse mais uma oportunidade para ele, que no seu segundo mandato olharia com mais atenção pela rua, o que até o momento não fez. Nunca mais voltou! Em nossa rua não chega nenhuma melhora o pouco que foi feito em nossa rua foi graças ao senhor Damião que era presidente da associação comunitária e fez vários pedidos para o bairro. Alguns destes pedidos foram atendidos, hoje não vejo empenho do atual presidente da associação comunitária para o nosso bairro...
A senhora Ana Maria Marques de Azevedo, moradora da rua, afirmou que : " Aqui na nossa rua não tem serviço de capina e limpeza, se a gente quer ver a porta de nossas casas limpas temos que pegar na enxada e na vassoura , eu mesmo já fiz isso várias vezes. Quero lembrar também que pago o meu carne de IPTU que chega fielmente todos os anos, mas a manutenção que é paga no IPTU não chega aqui na minha rua ..."
Logo em seguida nós passamos na Rua Antonio Ferreira da Silva, uma rua pequena e curtinha que se encontra totalmente abandonada e cheia de mato. Uma capina deve ser feita o mais breve possível, antes que comesse a aparecer os animais peçonhentos, pois nesta rua mora um grande numero de crianças.
Logo à frente entramos na rua vereador Rubens Albano Fernandes, conhecida como morro do angu, nesta rua logo na entrada existe um córrego que a muito tempo a prefeitura não faz a sua limpeza e manutenção de capina. Com a chegada do tempo das águas é muito perigoso que o mato atrapalhe o trajeto das águas e aconteçam algumas enchentes, principalmente se a enchente vir das cabeceiras dos rios.
Outro ponto lamentável é a situação do calçamento, que não existe e um bom escoamento das águas pluviais que na época das chuvas pode causar sérios transtornos para os moradores.
Conversamos com a senhora Leninha que estava indignada com a situação caótica da sua rua: "... as autoridades do município devem olhar para a nossa rua com mais respeito, aqui na rua, na subida do escadão, deveria ter alguns passeios, a prefeitura mandou o material para a construção destes passeios mas o material não veio para todo mundo, se tivesse o passeio seria melhor para que agente pudesse levar material de construção até o alto do morro. Infelizmente, quando alguém passa mal aqui, a ambulância não sobe. Outra coisa que eu gostaria de destacar é que aqui na nossa rua não tem um local para colocarmos o lixo, deveria ter uma cesta ou um latão comunitário pois o lixeiro não sobe o morro para pegar o lixo, nós temos que levar lá em baixo, se não levamos o lixeiro não busca aqui em cima..."
A senhora Fátima Maria dos Santos vendo a nossa reportagem no declarou: "... No tempo das chuvas fica muito difícil para subirmos o morro devido à falta de calçamento, infelizmente hoje não temos ninguém que puxe para a nossa comunidade, a única pessoa que fazia alguma coisa pra o nosso bairro era o senhor Damião que sempre trabalhou muito quando era presidente da Associação Comunitária, mas infelizmente o senhor Damião na está mais à frente de nossa comunidade. A prefeitura ficou de mandar o material para fazermos a escada, mas até hoje não chegou aqui. A saúde funciona muito precária felizmente temos o medico do PSF que é muito atencioso e atende a gente muito bem, mas no bairro não tem um pediatra para as nossas crianças, um ginecologista, um cardiologista. Se não temos isso imagine um dentista? Os agentes de saúde não fazem as visitas como deveriam ser feitas e se bastasse, todos os sábados ainda temos que conviver com a falta de água, que sempre acaba e ficamos com os serviços domésticos parados..."
Logo depois fizemos uma visita rápida na Rua Célia Alvim aonde vimos que faltam os meios fios, apesar do senhor Damião nos apresentar copia do oficio 39/2009, de 30/06/2009, solicitando da prefeitura a colocação destes meios fios no referido logradouro. É bom ressaltar que este pedido foi protocolado pelo próprio prefeito municipal que até o presente momento não atendeu este pedido, juntamente com este ofício o senhor Damião nos apresentou varias copias de pedidos para estas ruas que citamos acima e nenhum deles foi atendido pela prefeitura, apesar de que, na maioria das vezes, foram protocolados pelo prefeito municipal. O prefeito não pode alegar que não sabia destes problemas, salvo engano, falta vontade política para que estes serviços sejam realizados. Com a palavra, o Sr. Prefeito!
Finalizo este artigo informando para os moradores do Bairro Santo Antônio que estarei voltando no bairro para percorremos mais algumas ruas, mostrando mais problemas, que não são poucos, e assim, quem sabe as autoridades tomem uma atitude?

domingo, 7 de novembro de 2010

Cai o número de habitantes em Santos Dumont

Dados preliminares do Censo divulgados ontem (04) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) revelam que Santos Dumont apresentou uma queda no números de habitantes. De 46.789 para 45.052 habitantes. Em dez anos, a cidade perdeu 1.737 moradores, de acordo com dados preliminares do IBGE. Mas nas ruas a diferença nem foi notada.
O sinal de alerta, porém, já foi aceso por causa do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Isto porque cada cidade recebe o repasse do governo de acordo com o tamanho da população, e se Santos Dumont perdesse mais 900 habitantes, haveria um corte na verba.
O secretário de Desenvolvimento Econômico, Geovane Martins, acredita que os números ainda vão aumentar. ”Estamos aguardando os números para que possamos entender melhor o que aconteceu. Para isso contamos com o apoio da Comissão Censitária que tem acompanhado o trabalho que o IBGE vem realizando na cidade. Caso seja comprovada a queda na população, será proposto um estudo do caso', disse.
A equipe de supervisores do Censo já começou o processo de varredura em toda a cidade. “A varredura começou depois que o censo foi divulgado, pois a expectativa era para números maiores. Outros agentes foram chamados para ajudar. Todos os setores urbanos já foram visitados. Falta ainda as vilas e os setores rurais e algumas casas estão fechadas pois os moradores trabalham em cidades vizinhas”, afirma a agente censitária, Júlia Dias Moreira.
A estimativa dos recenseadores é de que com o trabalho de varredura, a cidade chegue a pelo menos 46 mil habitantes. Ainda de acordo com as informações preliminares do Censo, Juiz de Fora tem 497.778 habitantes. Em 2000, a população era de 456.096 pessoas.
Em Barbacena, a população saltou de 114.126 para 121.571, em dez anos. - Fonte: megaminas.com - Publicado em 05/11/2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

UM EX-FAXINEIRO NEGRO VENCE PRECONCEITO E QUER LIMPAR A IMAGEM DO STF

O "bate-boca" entre o presidente do STF, Gilmar Mendes (dono de uma biografia repleta de denúncias de corrupção) e o ministro Joaquim Barbosa (dono de uma biografia invejável) traz a necessidade de esclarecer quem é quem no Judiciário brasileiro.
Um ex-torneiro mecânico pernambucano indicou um ex-faxineiro mineiro para ocupar uma vaga entre os Ministros do Supremo Tribunal Federal. O presidente Lula escolheu o doutor da Universidade da Sorbonne e procurador do Ministério Público Federal, Joaquim Benedito Barbosa Gomes, para ocupar uma vaga entre os Ministros do Supremo Tribunal Federal. O jovem negro que cuidava da limpeza do Tribunal Regional Eleitoral de Brasília está prestes a chegar ao topo da carreira da Justiça após quatro décadas de vitórias contra desigualdades sociais e raciais.
A primeira foi em Paracatu, interior de Minas, onde nasceu numa família de sete irmãos, com a mãe dona-de-casa e o pai pedreiro e, mais tarde, dono de uma olaria. Lá, percebeu que só o estudo poderia mudar a sua história. Já aos 10 anos dividia o tempo entre o trabalho na microempresa da família e a escola. O saber era quase uma obsessão.
 Uma das piores lembranças da minha infância foi o ano em que fiquei longe da escola porque a diretora baixou uma norma cobrando mensalidade. No ano seguinte, a exigência caiu e voltei à sala de aula. Estudar era a minha vida e conhecer o mundo o meu sonho. Adorava aprender outras línguas – contou Joaquim Barbosa numa entrevista em agosto de 2002 para o projeto de um vídeo sobre a mobilidade social dos negros no Brasil.
O domínio de línguas estrangeiras foi a engrenagem para mobilidade social de Joaquim Barbosa. Aos 16 anos, deixou a família e a infância em Minas e foi atrás de emprego e educação em Brasília. Dividia o tempo entre os bancos escolares e a faxina no TRE do Distrito Federal. Um dia, o mineiro, na certeza da solidão, cantava uma canção em inglês enquanto limpava o banheiro do TRE. Naquele momento, um diretor do tribunal entrou e achou curioso uma pessoa da faxina ter fluência em outro idioma. A estranheza se transformou em admiração e, na prática, abriu caminho para outras funções. Primeiro como contínuo e, mais tarde, como compositor de máquina off set da gráfica do Correio Brasiliense. A conquista não sairia barato.
Lembro de uma chefe que me humilhava na frente dos companheiros de trabalho e questionava minha capacidade. No início, foi difícil, mas acabei me estabilizando no emprego e mostrando o quanto era profissional.A renda aumentou, mas ainda era pouca para ele e a família lá em Minas. Foi trabalhar também no Jornal de Brasília acumulando dois empregos e jornada de 12 horas. Mais tarde, trocou os dois por um. Foi para Gráfica do Senado trabalhar das 23h às 6h da manhã. Depois do trabalho, a Universidade de Brasília. O único aluno negro do curso de direito da UnB tinha que brigar contra o sono e a intolerância. Havia um professor que, ao me ver cochilando, me tirava da sala.
Joaquim Barbosa continuava sonhando acordado. Prestou prova para oficial da chancelaria do Itamaraty e passou. Trocou o bem remunerado emprego do Senado por um, que pagava bem menos. Mas o novo trabalho tinha uma vantagem incalculável: poder viajar para a Europa. Durante seis meses, conheceu países como Finlândia e Inglaterra. De volta ao Brasil, prestou concurso para carreira diplomática. Foi aprovado em todas as etapas e ficou na entrevista: a única na qual a cor de sua pele era identificada.
Após esse episódio, a consciência racial de Joaquim Barbosa, que começou a ser desenhada na adolescência, ganhou contornos mais fortes. Ganhou novas cores, quando, já como jurista do Serpro, conheceu o país, especialmente o Nordeste e, em particular, Salvador. Bahia foi uma paixão a primeira vista do mineiro. Foi lá onde Joaquim Barbosa teve um contato maior com o que ele chama de "Negritude".
A percepção de ser minoria entre as elites ficou ainda mais nítida fora do país. O jurista explica que o sentimento de isolamento e solidão é muito forte num "ambiente branco" da Europa. Ser uma exceção aqui e no além mar ficou ainda mais forte após o doutorado na Universidade de Sorbonne. Nessa época já acumulava títulos pouco comuns para maioria das pessoas com a mesma cor de pele: Procurador do Ministério Público e professor universitário. Antes, já tinha passado pela assessoria jurídica do Ministério da Saúde. O exercício de vencer barreira, de alguma forma, está em sua tese de doutorado, publicada em francês. O doutor explica que o seu objeto de estudo foi o direito público em diferentes países, como os EUA e a França. A minha intenção foi ultrapassar limites geográficos, políticos e culturais. Quero um conhecimento que vá além da fronteiras dos países.
– disse.
"Vossa Excelência, quando se dirige a mim, não está falando com os seus capangas do Mato Grosso, ministro Gilmar. Respeite", reagiu Barbosa.
Gilmar Mendes foi nomeado para o Supremo Tribunal Federal pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Na ocasião, em artigo publicado na Folha de São Paulo, o professor da Faculdade de Direito da USP, Dalmo Dallari, professor catedrático da UNESCO na cadeira Educação para a paz, Direitos Humanos e Democracia e Tolerância, declarou:
“Se essa indicação (de Gilmar Mendes) vier a ser aprovada pelo Senado, não há exagero em afirmar que estarão correndo sério risco a proteção dos direitos no Brasil, o combate à corrupção e a própria normalidade constitucional. (...) o nome indicado está longe de preencher os requisitos necessários para que alguém seja membro da mais alta corte do país.”
O empresário Gilmar Mendes carrega em sua biografia a denúncia de que foi favorecido com “incentivo” do poder executivo para fundar, em 1998, o Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP), uma escola privada que oferece cursos de graduação e pós-graduação em Brasília. Desde 2003, conforme consta das informações do "Portal da Transparência" da Controladoria Geral da União, esse Instituto faturou cerca de R$ 1,6 milhão em convênios com a União. De seus nove colegas no STF, seis são professores desse Instituto, além de outras figuras importantes nos poderes executivo e judiciário (não é à toa que ele contou com tanta “solidariedade” no episódio que envolveu a discussão com o ministro Joaquim Barbosa). O Instituto se localiza em terreno adquirido com 80% de desconto no seu valor graças a um programa do Distrito Federal de incentivo ao desenvolvimento do setor produtivo. O subsecretário do programa, Endels Rego, não sabe explicar como o IDP foi enquadrado no programa. O belíssimo prédio do Instituto foi erguido graças a um empréstimo conseguido junto ao Fundo Constitucional do Centro Oeste (FCO), gerido pelo Banco do Brasil, cuja prioridade de investimento é o meio rural. Entre os seus maiores clientes estão a União, o STJ e o Congresso Nacional.

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA - DIZ O QUE O POVO TEM VONTADE DE DIZER!



segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dilma Rousseff é a primeira mulher eleita presidente do Brasil

Dilma Vana Rousseff (PT), 62 anos, foi eleita neste domingo (31) a primeira mulher presidente do Brasil. Com 92,53% dos votos apurados, às 20h04, o Tribunal Superior Eleitoral informou que a petista tinha 55,43% dos votos válidos (excluídos brancos e nulos) e não podia mais ser alcançada por José Serra (PSDB), que, até o mesmo horário, totalizava 44,57%
Em um pronunciamento às 20h13, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, anunciou oficialmente a vitória da candidata do PT. Na manhã desta segunda-feira (1º), com 99,99% dos votos apurados, Dilma acumulava 56,05% dos votos válidos (55.752.092 votos) e José Serra, 43,95% (43.710.422). - (Informaçoes segundo o Tribunal Superior Eleitoral)
José Serra, candidato do PSDB à Presidência, que perdeu a disputa para a candidata do PT Dilma Rousseff, afirmou na noite do domingo (31) que deseja que a nova presidente "faça bem" ao Brasil.
"...Nós recebemos com respeito e humildade a voz do povo nas ruas. Quero cumprimentar a candidata eleita Dilma Rousseff e desejar que faça bem ao nosso país...", afirmou Serra em pronunciamento iniciado pouco depois das 22h30 do domingo.Ele ainda agradeceu a votação recebida no segundo turno. "...Disputei com muito orgulho a Presidência e digo aqui, de coração, quis o povo que não fosse agora, mas sou grato aos 43 milhões e 600 mil de brasileiros e brasileiras que votaram em mim. Muito obrigada a vocês de todo nosso país..."O candidato tucano afirmou, em seu discurso, que enfrentou durante a campanha "forças terríveis" e agradeceu a militância e coordenação da campanha. "Vim aqui não para falar da frustração, mas da confiança e esperança", disse Serra. "Nesses meses, quando enfrentamos forças terríveis, vocês construíram uma fortaleza. Consolidaram um campo político em defesa da liberdade e da democracia no país."
Dilma Rousseff (PT) será a 11ª mulher a ocupar o cargo de presidente na América Latina – a oitava eleita. Dos 33 países da região, a Argentina já teve duas mulheres no governo. Outros oito países latino-americanos tiveram uma mulher presidente: Bolívia, Haiti, Nicarágua, Equador, Guiana, Panamá, Chile e Costa Rica.A primeira mulher a chegar à presidência na América Latina foi a argentina María Estela Martínez de Perón, mais conhecida como “Isabelita” Perón.Ela era vice na chapa do marido, mas com a morte de Juan Domingo Perón, eleito presidente, “Isabelita assumiu e governou o país entre 1974 e 1976"
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, felicitou, na tarde desta segunda-feira (1), a recém-eleita Dilma Rousseff pela vitória nas eleições no Brasil, segundo comunicado da Casa Branca. O chefe de governo norte-americano cumprimentou o povo brasileiro pela "fé e comprometimento com a democracia".
Obama também destacou a "excelente" relação entre os dois países e reforçou o compromisso para explocar novas áreas de colaboração e cooperação. Setores como energia, crescimento global e assistência ao Haiti são alguns dos temas lembrados. O presidente norte-americano também disse que quer ver Dilma Rousseff pessoalmente no futuro.
Fonte:G1/SP 
Uma das cenas mais inusitadas desta eleição foi um mesário que chegou ao portão do Colégio Mackenzie, na região central de São Paulo, usando um nariz de palhaço, seria um protesto silencioso?