sexta-feira, 15 de julho de 2011

Exploração sexual de menores afeta 50% das cidades

De acordo com um levantamento feito pela Secretaria de Direitos Humanos (SDH), em metade dos municípios brasileiros há registros de denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes. Além disso, as 12 capitais que vão receber jogos da Copa do Mundo em 2014 estão entre as 100 cidades com maior número de casos.
De acordo com o mapeamento, as regiões Centro-Oeste e Nordeste são as que mais denunciam casos de exploração sexual pelo Disque 100, número nacional por meio do qual é possível fazer denúncias anônimas sobre esse tipo de violência.Para a secretária nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Carmem Oliveira, o aumento do número de denúncias se deve à maior conscientização da população sobre a importância de denunciar e proteger os menores.Ela destacou ainda que o governo terá atenção especial com as localidades com grandes obras em andamento, por atraírem muitos homens desacompanhados das famílias. Na maioria das vezes, os municípios têm pouca estrutura para combater esse tipo de exploração."Temos evidência que, no contexto das grandes obras, aumentam os casos de violação, porque há uma imigração que equivale ao número da população que já existe no município, que não dá conta da nova demanda. Rapidamente se instaura um mercado de prostituição nesses canteiros", disse a secretária, ao participar de seminário para discutir a participação do setor privado no combate a esse tipo de crime.
Os dados apresentados fazem parte de uma prévia da Matriz Intersetorial 2011 - Cenários do Enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Eles servirão de subsídio para a SDH organizar uma atuação em quatro frentes para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes: Copa do Mundo, grandes obras (principalmente de usinas hidrelétricas), rodovias e fronteiras.

EXPLORAÇÃO SEXUAL DE MENORES É CRIME! 

DENUNCIE  - DISQUE 100 


Fonte:  UOL Notícias

Um comentário:

Notas Impertinentes disse...

As crianças que escaparem das curetas e máquinas de aspiração com que se está praticando aborto, inclusive com o dinheiro do SUS, terão, depois de nascidas, que enfrentar nas escolas públicas uma avalanche de ataques a seus olhinhos angelicais: máquinas de distribuir preservativos (semelhantes às de refrigerantes), cartilhas pornográficas, livros, filmes e músicas com mensagens de incitação sexual. E não bastasse tudo isso, 50% delas poderão vir a sofrer com a exploração sexual!!!