sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A VERDADEIRA AMIZADE

Diariamente entramos em contato com muitas pessoas, mas o contato com a pessoa de nossa amizade verdadeira é diferente, porque é especial e único.O amigo é uma pessoa por quem a gente torce, vibra e também sofre. Ela está presente nos bons e maus momentos. É amado e tratado com sinceridade e respeito. Contamos sempre com ela, pois a amizade verdadeira é eterna.A amizade nos traz alegria, entusiasmo e incentiva os sonhos. Ela nos dá força e nos ajuda a vencer as diferenças. Aliás numa verdadeira amizade as diferenças nem existem, porque se erramos... perdoamos e esquecemos. Se temos defeitos não nos importamos com eles, porque passamos por cima deles.Nos relacionamentos verdadeiros, tudo vem à tona: as fraquezas e limitações, mas também são reconhecidas as grandezas da alma e seus aspectos positivos. Todas as situações contribuem para o crescimento de ambos os lados.Amigos de verdade não têm dia nem hora para manifestar sua atenção e ternura. Eles podem até estar longe da gente, mas quando os outros se vão, respondem PRESENTE, e contamos com eles em cada emergência.
Li certa vez um pensamento: “Sem bons amigos você pode ser comparado a um livro que ninguém se deu ao trabalho de ler”. É triste, não é? É uma situação de abandono!

Podemos até não ter muitos amigos (está se tornando raro), mas os que tivermos, faça que sejam amigos reais. A amizade é cultivada diariamente.  Outro pensamento que não é menos chamativo: “Mais vale um amigo na praça do que dinheiro no caixa”. Isto significa que o dinheiro não faz o que o amigo pode fazer.
Numa verdadeira amizade não existem distinção de cor, sexo, idade. Amigo é amigo de verdade, sem sufocar o outro, isto é, sem manipulação, sem poluir o ambiente. Somos livres. Não se força uma amizade, mas ela tem uma grande força que se intensifica a cada instante. É verdadeira a declaração que não se escolhe a família para nascer, mas os amigos sim, podemos selecionar, pois eles são continuação da vida fazendo parte de uma opção. A amizade é um dos sentimentos mais nobres, nasce de forma espontânea e ela também chega à maturidade. Maturidade alcançada com base no amor, no carinho, na ternura, no respeito, na compreensão, na troca e na ajuda natural, sem segundas intenções.
Amizade é um, dom precioso.

A própria Bíblia declara que “quem encontra um amigo encontra um tesouro”. Tesouro é riqueza, é ter com que/quem contar. Daí a necessidade da amizade ser cultivada, para não desfalecer, esfriar e até morrer. A reciprocidade é o principal vetor de manutenção da amizade. Conhecemos fatos e alguns desses fatos até já nos envolvem; de amizades que não conseguem perdurar, em face a ausência de atitudes recíprocas, interesse e compromisso. Numa amizade não existe lugar para o orgulho, os defeitos, gênio difícil e a impaciência. Eles são relevados. Outra característica marcante é a compreensão. Os sentimentos são livres, descontraídos e expressos sem cobrança. Vale até ressaltar que a atitude de cobrança, desgasta e esvazia qualquer tipo de relacionamento. 
Nossa vida se torna enriquecida pelas amizades. Fomos criados por Deus à sua imagem e semelhança para vivermos uma relação equilibrada com o nosso próximo. De acordo com a qualidade dos nossos relacionamentos, temos uma maior ou menor abertura, e isso pode determinar também qualidade de vida. A somatória das relações e a qualidade delas dimensionam a felicidade pessoal. Uma pessoa sem amigos não é feliz Numa grande amizade, os amigos são fiéis e quase sempre são confidentes. Há uma entrega como cada um é realmente, sem envolver em mesquinharias, sem medo de ser totalmente conhecido.
A amizade tem também uma significação espiritual.

Há uma identificação de sonhos, comportamentos e vontades.Infelizmente existe no mundo uma incapacidade das pessoas criarem vínculos de amizades, porque não há um bom nível de confiança entre elas; pelo contrário, revelam ou manifestam um egoísmo exacebardo. Têm medo de se expor, de mostrar a sua verdadeira personalidade. Mesmo sendo carentes de sentimentos, preferem ficar sozinhas no seu claustro, do que tentar, arriscar ou optar por uma amizade, que com certeza, só lhe fará bem. Na verdade, quando o ser humano descobrir verdadeiramente o valor da amizade, a vida se tornará bem melhor, pois é compensador contar com alguém, ser feliz, bem como proporcionar a outrem um pouco daquilo que você tem para compartilhar.

CONSIDERANDO A IMPORTÂNCIA E O VALOR DA AMIZADE, VAMOS DESTACAR OS SEGUINTES PONTOS:

• São os amigos que nos fazem sorrir quando temos vontade de chorar;

• Podemos comparar o elo da amizade com o “tempo” que sofre alterações climáticas, mas é através dessas alterações que aprendemos a nos conhecer mostrando verdadeiramente quem ou como somos;

• Os amigos nos ensinam muito, nos fazendo enxergar circunstâncias ou situações que às vezes não percebemos o seu real sentido;

• Os amigos nos chamam à razão quando agimos de forma contrária, nos fazendo aceitar ou compreender nossos erros;

• Os amigos são como irmãos que a vida nos proporciona, para estar conosco em nossa caminhada;

• O importante não é conhecer o amigo, mas saber o que há dentro dele;

• Ser amigo não é coisa de um dia apenas, mas passar por um processo de conhecimento dos gestos, palavras, sentimentos, ações, que vão solidificando com o tempo;

• O amigo é uma porta aberta em qualquer situação;

• A amizade faz milagres porquê: tornam os fardos mais leves, porque são divididos ao meio; intensifica as alegrias; ameniza as tarefas difíceis; diminuem as distâncias, é bússola e rota no oceano da vida;

• O amigo tem um sorriso bonito que vem do interior. Um sorriso generoso que nos contagia;

• O amigo nos recebe, nos ouve e nos quer assim, como somos;

• Na verdadeira amizade há realismo, sinceridade, porém sem ser cruel.
Feliz quem tem ao seu lado um verdadeiro amigo. O livro sagrado diz que há amigo mais chegado que um irmão. Por isso dedico este humilde texto ao um dos melhores amigos que o grande criador do universo me presenteou trata se do ilustríssimo amigo D.r Luiz André Couri a quem sempre com paciência me escuta e me orienta. Valeu André muito obrigado por tudo por tudo mesmo !  Acesse: http://oreacionario2011.blogspot.com/

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

“Hoje tem marmelada? Tem sim senhor!”

Esta pergunta e resposta são antigas do nosso conhecimento. Não só nos lembra a nossa distante infância como nos mantém ligados no cotidiano, sendo prática constante dos nossos circos, ainda em atividade. Porém, o que infelizmente nós esquecemos, é que, politicamente, o brasileiro tem memória curta. E a pergunta antiga também é prática constante dos nossos políticos que, com toda a cara de pau do mundo, insistem em transformar o nosso país em um grande picadeiro e, de maneira degradante, somos postos como palhaços.Querendo ou não, como é o meu caso e de vários outros, estou envolvido nesse único e grandioso “espetáculo”, promovido pelos nossos governantes. Aí eu digo: com certeza, não contribuí com meu digno e valoroso voto para colocar no poder desta nação e da minha cidade, esta turma. Como bem disse em campanha um político famoso: “A patota esta reunida”. É, meus senhores e “companheiros” de picadeiro, está difícil. Aristóteles (filósofo) pregava o “livre arbítrio” (culpabilidade hoje), o povo escolheu mal e a “Patota” venceu as eleições. Estão lá, certamente com os votos do povo, aqueles mesmos que caíram na conversa do “Meu povo, brasileiros dos pés descalços, sem dentes e descamisados”, assim e por duas vezes. Poderia eu, como brasileiro, telespectador de vários jornais e leitor de algumas revistas, lutar por um país melhor, mas vejo a cada dia o mesmo show. Revezando só os corruptos (3 por 4), alguns até já foram cassados, retornaram e estão fazendo parte do centro de comando do (grã circo Brasil). Pode conferir, é grande mesmo, tem dimensões continentais e a grandeza do mau aproveitamento e da má gestão de recursos são na mesma proporção, se não até maior.A culpa também é dos nossos antepassados, que deixaram a coisa descambar de tal forma que, se o cidadão não tiver um pouco de fé, tá ferrado. Mas, vamos deixar a fé de lado, pois os líderes, teoricamente brasileiros que fazem isto, de santo não tem nada. Deixe estar, assim caminhamos e convivemos com escândalos, falcatruas e maracutaias. Já na época do império, no escândalo dos pangarés, tinha até príncipe evolvido no negócio e quem pagava pelos eqüinos? Era o povão.E hoje não é diferente, pois no passado recente, tivemos o mensalão, dinheiro na cueca, dinheiro na mala, empréstimos fantasmas, uma tal de “Galtama” que construía pontes de mentira, a máfia das ambulâncias, dos sanguessugas e outras máfias pelo Brasil a fora. Certamente não podemos nos esquecer dos bons e versáteis que estão sempre à mão (aparentemente de pessoas erradas), os cartões corporativos, estes sim, sem limite de crédito, pagam de um tudo. De carros alugados passando por “free shoping”, material esportivo e de construção, acredite se quiser, tapioca também entrou na nossa (conta). É sim, quem paga somos nós. Você não sabia?Vou parar de comentar fatos assim, uma vez que sempre é hora de espetáculo. Eu e você não podemos parar, pois o show tem que continuar.Alegria, alegria, faça como eu, sorria! (mesmo que seja um sorriso amarelo de revolta)Hoje tem marmelada? Tem sim senhor.
E o palhaço, quem é?...